30 de junho de 2022
Esportes

À beira do Z-4, Goiás e Vila Nova têm semana de tensão fora de campo

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

As crises de Goiás e Vila Nova ganharam capítulos triste nesta semana. Após as derrotas para Grêmio e Botafogo-SP, respectivamente, as duas torcidas eclodiram em protestos.

Os esmeraldinos penduraram faixas ao longo da Avenida 85, inclusive nos viadutos João Alves de Queiroz e Latif Sebba, pedindo as saídas do presidente Marcelo Almeida e do gestor de futebol Túlio Lustosa.

Por sua vez, os colorados não pouparam vaias e palavrões aos jogadores e comissão técnica na saída do gramado do Serra Dourada depois do sétimo jogo seguido sem vencer em casa. Os vilanovenses tambem apluadiram muito o treinador adversário, Hemerson Maria, que comandou o Tigre por dois anos seguidos.

Continua após a publicidade

Vandalismo

Atos de vandalismo e, ao que tudo indica, um incêndio criminoso na loja do Vila também foram registrados. Torcedores esmeraldinos vandalizaram carros da concessionária Pinauto, de propriedade do presidente do Conselho Deliberativo do clube, Hailé Pinheiro, com tinta verde. Além disso, vidraças da loja Empório Goiás também foram destruídas.

Na noite desta terça-feira (17), o Corpo de Bombeiros foi acionado para conter um incêndio na loja do Sócio Tigrão, no Onésio Brasileiro Alvarenga. A corporação não afirma que o incêndio foi criminoso, pois o laudo pericial ainda não foi realizado. Toda a estrutura do estabelecimento foi queimada e grande parte do estoque foi perdido.

Continua após a publicidade