Café do Google Campus, com orelhão que se transformou em poltrona
start up portugal

Portugal anunciou nesta segunda-feira (6) o lançamento de um visto de residência especial para empreendedores da área de tecnologia e inovação. O programa, batizado de "Startup visa", começará a aceitar inscrições em 1º de janeiro de 2018.

Novidade foi divulgada pelo Ministério da Economia português pouco antes da abertura, em Lisboa, da edição de 2017 do Web Summit, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, que acontece pela segunda vez em Portugal.

Podem tentar o visto quem tem o projeto de criar -ou de transferir- empresas inovadoras para a terra de Camões.

Os candidatos ao visto especial terão de cumprir uma série de pré-requisitos quanto à qualidade das empresas.

Segundo o governo português, as atividades de bens e serviços devem ser inovadoras e ter potencial de geração de emprego qualificado.

Além disso, devem ter "potencial para atingir, três anos após o período de incubação, um valor de € 325 mil (cerca de R$ 1,2 milhão), ou um volume de negócios superior a € 500 mi (cerca de 1,9 milhão) ao ano".

Os pedidos passarão ainda por um processo de avaliação que levará em conta a "escalabilidade do negócio e potencial de mercado, a capacidade da equipe de gestão, o potencial de criação de emprego qualificado em Portugal e a relevância do requerente na equipe".

PAÍS DAS START-UPS

Nos últimos anos, Portugal tem investido na proposta de tornar um hub tecnológico na Europa. O novo programa de vistos pretende seguir exatamente nesse sentido.

"Este programa é um dos mais inovadores a nível europeu para atração e captação de talento internacional", diz, sem modéstia, o anúncio do "Startup visa".

A realização do Web Summit no país também foi um esforço nesse sentido. O governo de Portugal, a Câmara Municipal (equivalente da Prefeitura) de Lisboa e várias entidades de tecnologia se mobilizaram para atrair o evento, que nasceu em Dublin, na Irlanda, em 2010.

Reunindo quase 60 mil pessoas de várias nacionalidades na capital portuguesa até quinta-feira, o evento tem como uma das principais propostas a união de grandes nomes da tecnologia a empreendedores iniciantes no ramo.

"O Web Summit coloca Lisboa no coração dos acontecimentos globais", disse o primeiro-ministro português, António Costa, na abertura do evento.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também discursou para um estádio lotado, mas cujo wi-fi funcionava a todo vapor. A noite de abertura do evento teve direito ainda a uma aparição, via telão, do físico popstar Stephen Hawking.

Outros nomes de peso, que vão desde o CEO do Tinder, Sean Rad, até o vencedor do Nobel da paz Al Gore, completarão o disputado calendário do encontro.

Leia Mais:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA