Luciana Silva, dirige a empresa In2web (à esquerda)
mulheres na tecnologia
Os cursos de informática têm sofrido um aumento crescente no número de alunos e egressos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Computação (SBC), em 2014, 39.342 pessoas se formaram nos cursos de informática no Brasil. O percentual de mulheres na área está crescendo significativamente nos últimos anos, no entanto, elas representam apenas 6.404 (cerca de 16%) do total de formandos.

Este resultado também é mostrado no mercado de trabalho. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) divulgada em 2016, dos mais de 580 mil profissionais de TI (Tecnologia da Informação) que atuam no Brasil, apenas 20% são mulheres.

Em homenagem ao dia Internacional da Mulher, comemorado no último dia 8, a Mozilla, desenvolvedora do navegador Firefox, fez um resumo das histórias de mulheres ao redor do mundo que fazem a diferença no campo da tecnologia.

O destaque fica com a goiana Luciana Silva, fundadora da ONG Mulheres na Tecnologia, que tem como objetivo aumentar a participação feminina na área da Tecnologia da Informação. Juntamente com Andressa Martins e Narrira Lemos, elas realizam encontros nacionais a fim de colaborar para o reconhecimento do potencial feminino na área.

 “Trabalhamos há muitos anos para que a ONG Mulheres na Tecnologia contribua para o protagonismo feminino na construção de um mundo sustentável na era digital. Eu como Conselheira e Fundadora fico feliz por ter nosso trabalho reconhecido mais um vez, especialmente pelos últimos meses reafirmarem a necessidade de movimentos feministas”, afirmou Luciana Silva.

Luciana Silva também dirige a empresa In2web, responsável pelo sistema do Diário de Goiás. 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA