Temer esteve ao lado de Alckmin neste sábado (2). Foto: Lula Marques/AGPT
temer gesto foto lula marques
Ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o presidente Michel Temer disse neste sábado (2) que o desembarque do PSDB do governo será "de modo cortês e elegante".

"Será uma coisa cortês e elegante. Como do meu estilo e do governador. Eu tenho certeza que o PSDB deu uma grande colaboração ao governo. Nós temos um ano e meio, o PSDB esteve presente um ano e meio, aliás em ministérios de grande porte", afirmou, após entregar unidades do programa Minha Casa, Minha Vida em Limeira (a 148 km de São Paulo).

Ele acrescentou que, até então, não havia discutido o assunto com o governador.

Antes, em discurso no evento, Alckmin (PSDB), pediu "entendimento" ao presidente.

Como publicado pela Folha, o encontro deste sábado (2) também é o primeiro passo para a costura de um eventual apoio governista à candidatura de Alckmin ao Planalto em 2018.

"Presidente, conte conosco", afirmou o governador na cerimônia. "A boa política é buscar entendimento. Entendimento para resolver os problemas do Brasil e melhorar a vida das pessoas."

Em um segundo discurso, na cidade de Americana, a 30 km de Limeira, o tucano voltou a falar de aliança com Temer.

Disse que viu recentemente um provérbio libanês, origem dos ascendentes de Temer, que diz "com uma mão só não dá para aplaudir". E, dirigindo-se ao presidente, afirmou: "Nós precisamos dar a mão, fazer parceria em beneficio do Brasil."

Na última quinta (30), o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) disse que o desembarque dos tucanos da Esplanada dos Ministérios dependia de um acordo entre Temer e Alckmin.

O PSDB ainda detém três pastas no governo: Secretaria de Governo, Direitos Humanos e Relações Exteriores.

O tucano Bruno Araújo, ex-ministro das Cidades, pasta que coordena o programa habitacional, foi o primeiro dos ministros da legenda a deixar o governo, em 13 de novembro.

DEFESA DA GESTÃO

Além de Alckmin, Temer estava acompanhado de uma comitiva de ministros que fizeram a defesa do legado da gestão governista, principalmente na área econômica.

Estiveram com ele Henrique Meirelles (Fazenda), que também tem manifestado a possibilidade de concorrer em 2018 pelo PSD, Moreira Franco (Secretaria Geral), Alexandre Baldy (Cidades) e o presidente da Caixa Gilberto Occhi.

Meirelles exaltou a gestão Temer, que, segundo ele, "em um ano fez uma diferença enorme na vida de todos", com a inflação reduzida e recuperação de empregos.

Em Limeira, Temer inaugurou 900 unidades do programa Minha Casa, Minha Vida. Em Americana, onde entregou mais 896 unidades, diferentemente do primeiro evento do dia, o presidente recebeu vaias, inclusive enquanto celebrava os feitos de sua gestão.

O presidente prometeu lançar um programa de término de obras paradas do governo federal. Segundo ele, ainda serão inauguradas 25 mil unidades do Minha Casa, Minha Vida até o fim do ano.

(FOLHA PRESS)

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA