Meirelles é cotado para ser presidente da República (Foto: Antônio Cruz/ Agência Brasil)
henrique meirelles antonio cruz agencia brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta segunda-feira (27) que decidirá se será ou não candidato à Presidência no primeiro trimestre de 2018.

De acordo com Meirelles, a prioridade, por ora, é a retomada da economia do Brasil.

"A minha função hoje é na Fazenda e é fundamental para o país", disse Meirelles em evento promovido pela revista "Veja". "Estamos criando emprego e o Brasil está crescendo".

Segundo o ministro, a agenda de reformas no Brasil tem de continuar. Ele afirmou que o país deve, por exemplo, aumentar a produtividade nacional e disse que a simplificação tributária é muito importante, alegando que há muito imposto no Brasil.

Em relação ao ex-presidente Lula, Meirelles disse que as as propostas que estão sendo feitas pelo petista hoje vão no sentido contrário do que está sendo realizado para retirar o Brasil da crise. Na última pesquisa Datafolha sobre as eleições de 2018, Lula lidera em todos os cenários que participa.

Meirelles disse que, no governo petista, a crise começou após a aplicação na economia de uma série de incentivos fiscais.

"Em 2010, com o país voltando a crescer, o Banco Central retirou o mecanismo de liquidez para reequilibrar a economia e, infelizmente, os incentivos fiscais continuaram acelerando-se, inclusive nos anos seguinte. Isso desequilibrou completamente [a economia]. A taxa de juros e a inflação subiram", disse.

Sobre a reforma da Previdência, Meirelles disse que tem a expectativa de que o projeto seja projeto seja votado na Câmara dos Deputados ainda neste ano.

"Acho que [a aprovação] é viável", disse.

(FOLHA PRESS)

Leia mais

Topo, diz Alckmin sobre presidência do PSDB

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA