marconi folha de sao paulo A sucessão na presidência do diretório nacional do PSDB é o tema central da cobertura política dos principais jornais e portais de notícias do País nesta quinta-feira (2/11). Veículos locais e nacionais detalham e repercutem a oficialização da candidatura do governador Marconi Perillo ao comando da legenda tucana, durante encontro com o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE), na tarde desta quarta-feira, em Brasília. O principal destaque é para o apelo de Marconi pela reconstrução da unidade interna do PSDB.

Os jornais Folha de S.Paulo, Estado de S.Paulo, O Globo, O Popular, Diário da Manhã e Hoje, além dos portais desses veículos, G1 e UOL apresentam as reportagens mais detalhadas sobre a reunião entre Marconi e Tasso, proposta pelo governador. Repercutem o anúncio da candidatura de Marconi e as declarações do dele e do senador para apaziguar o clima interno no partido após novo debate público sobre a sucessão na legenda e o posicionamento em relação ao governo do presidente Michel Temer (PMDB).

UOL e G1 repercutem a reunião entre Marconi e Tasso e o anúncio feito por Marconi de que pretende concorrer ao diretório nacional tucano. O ESTADO DE S.PAULO destaca posicionamento atribuído ao governador Marconi Perillo: "O PSDB deu a sua contribuição, ajudou no impeachment (da ex-presidente Dilma Rousseff), mas agora chega a hora em que vamos focar na eleição". Na FOLHA DE S.PAULO, a informação é de que o governador de Goiás, Marconi Perillo, defendeu nesta quarta-feira (1.º), em aceno ao presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati (CE), um desembarque "educado e normal" do governo Michel Temer.

A reportagem da Folha descreve que a posição de Perillo é uma “aproximação” ao que vem defendendo Tasso e que a unidade do discurso se deve à tentativa do partido de chegar à convenção de dezembro com um único candidato. "O PSDB pode tranquilamente apoiar as reformas, as medidas a favor do Brasil sem necessariamente estar no governo. O partido já deu sua contribuição, o PSDB ajudou no impeachment [da presidente Dilma Rousseff]. [...] Mas chegou a hora que tem que se dedicar à questão presidencial, ao programa partidário", disse Perillo.

Em outra frente, a coluna FIO DIRETO, do Diário da Manhã, escreve que os tucanos ligados a Aécio Neves, Geraldo Alckmin e a João Doria estão do lado do goiano Marconi Perillo na disputa interna com o cearense Tasso Jereissati pelo comando do PSDB nacional, a partir de dezembro. Em PERGUNTA PARA, a coluna GIRO, do Jornal O Popular questiona o deputado federal do PSDB, Giuseppe Vecci, sobre qual pode ser o resultado na disputa entre Tasso Jereissati e Marconi Perillo para presidência do PSDB.

“Pelo seu perfil conciliador, o governador Marconi tem o respaldo da maioria dos membros que vão votar na eleição para o diretório nacional do PSDB em dezembro, que são os delegados estaduais, os deputados, os senadores e os membros do atual diretório. Mas sempre há o risco do resultado não ser favorável, claro", diz Vecci, ao GIRO.

A coluna XADREZ, de O Hoje, escreve que depois de reunião tensa entre Tasso Jereissati e a bancada federal do PSDB, o governador Marconi Perillo decidiu oficializar ao próprio presidente interino sua candidatura ao comando nacional do partido. Adiante, coluna destaca: “Até então ele (Tasso) não havia dito que seria candidato. Nós conversamos longamente e ele não disse que seria candidato. Então, eu o informei que gostaria de ser candidato”, disse Marconi Perillo, depois de reunião em Brasília.

XADREZ registra ainda outra declaração de Perillo:  “Já pedi uma reunião com os líderes das bancadas do Senado e da Câmara. Já conversei também com alguns colegas governadores. Mas na próxima semana vamos conversar no sentido de buscar a unidade”. A coluna complementa que o presidente interino do PSDB comentou que “se as ideias são as mesmas, nada impede que saia um nome só”.

A coluna PAINEL, na FOLHA DE S.PAULO, registra que o candidato à presidência da PSDB, Marconi Perillo (PSDB-GO) tem dito que não abrirá mão da disputa e que aposta na construção de um consenso. "Tenho a cabeça preta! Só a costeleta é branca!" Já PODER EM JOGO, em O GLOBO, aponta que “está nas mãos” da bancada tucana da Câmara decidir se haverá ou não disputa para a presidência do PSDB.

Segundo a coluna, o governador Marconi Perillo disse ontem ao senador Tasso Jereissati que também deseja a renovação do partido e que não há razão para disputarem o cargo. PODER EM JOGO menciona que Perillo tentará convencer, na próxima semana, a ala que apoia Tasso, especialmente os "cabeças-pretas", de que pode conduzir as mudanças sem confronto no partido; além de ressaltar que na terça, deputados de Goiás e Minas se uniram contra Tasso numa reunião.

O DIÁRIO DA MANHÃ destaca que o governador Marconi Perillo oficializou ontem, em reunião com o presidente em exercício do PSDB, Tasso Jereissati, em Brasília, sua intenção em concorrer nas eleições de dezembro que irá escolher o novo presidente do diretório nacional do partido. "Manifestei a ele o meu desejo antigo de contribuir com o PSDB na direção do partido. Mostrei a ele o meu desejo de trabalhar pra valer, de dedicar-me muito ao partido que já fez muito por mim", disse o governador.

DIÁRIO DA MANHÃ complementa reportagem e escreve que Tasso disse ser um admirador das gestões do trabalho de renovação feito pelo governador Marconi Perillo em Goiás. “Admiro o trabalho de renovação que o governador Marconi fez em Goiás. Temos muita afinidade política e de visão sobre o país", comentou Tasso, segundo a reportagem.

Ainda segundo o veículo, durante entrevista coletiva à imprensa, o governador Marconi Perillo manifestou seu respeito e consideração a Tasso Jereissati. "Ele foi um referencial para a minha vida pública desde quando eu era deputado estadual e ele governador. Me apoio em 1998 quando fui candidato a governador pela primeira vez. è um líder respeitado por todos nós", disse Perillo.

O POPULAR informa que o governador Marconi Perillo iniciou ontem, em Brasília, uma agenda em busca de consenso para as eleições internas marcadas para 9 de dezembro. A reportagem ressalta que a conversa entre Tasso Jereissati e Marconi Perillo ocorre um dia após reunião onde o senador cearense e parlamentares goianos e mineiros se desentenderam e que, apesar de já ter admitido anteriormente que seria candidato à presidência da sigla, Perillo alegou que foi até o gabinete de Tasso no Senado para falar sobre seu interesse. “Não poderia procurar a bancada, as lideranças sem antes falar com ele (Jereissati) para dizer do meu desejo", disse Perillo.

O ESTADO DE S.PAULO escreve que Geraldo Alckmin foi sondado recentemente por deputados sobre a possibilidade de presidir a sigla do partido, “mas desconversou”. De acordo com o jornal paulista, embora não descarte a ideia, Alckmin quer preservar a “boa relação” que mantém com os dois nomes que pleiteiam o cargo: o governador de Goiás, Marconi Perillo, e o senador Tasso Jereissati (CE), presidente interino do partido.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA