temer alvorada

O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), reconheceu que, superada esta segunda denúncia, o presidente Michel Temer terá que sentar com sua base aliada para definir a agenda dos próximos 14 meses.

"O presidente Temer vai sentar com a base para analisar a pauta", afirmou.

Prioridade do governo no primeiro semestre, a reforma da Previdência agora é dúvida.

"Previdência, a gente tem que fazer uma avaliação com a base", disse Aguinaldo Ribeiro.

Com apenas 97 deputados com presença registrada em plenário, o líder disse que os representantes do governo estão "ligando para todo mundo". "Mas cada parlamentar tem sua responsabilidade", disse Ribeiro.

O líder do governo procurou naturalizar a oferta de cargos e a liberação de emendas.

"Esta é uma relação institucional que se mantém. Esta relação não é estanque. Todo dia tem uma demanda. Não se dá por conta deste momento", afirmou.

Leia mais:

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA