thiago peixoto congresso

O deputado federal Thiago Peixoto (PSD-GO) acredita que a falta de investimento público em inovação está fazendo o Brasil perder competitividade. Ele defendeu a criação de um ambiente nacional, inclusive legal, mais favorável à Economia Digital. Ele tratou sobre o tema nesta quarta-feira (13) durante o Congresso Brasil Competitivo 2017, organizado pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC) em São Paulo. Presidente da Frente Parlamentar de Economia Digital e Colaborativa, o goiano participou de uma mesa ao lado de representantes dos governos do Reino Unido e Chile. Vários ministros, o governador Geraldo Alckmin (São Paulo) e o prefeito João Dória (SP) também participaram do evento.

Por conta da relevância do papel que vem desempenhando a favor a inovação na Câmara dos Deputados, o parlamentar foi convidado pelo MBC para compor um dos painéis que tratou sobre estratégia digital: política de estado e seus desdobramentos regulatórios. Junto com Thiago, no painel, estavam Liam Maxwell, conselheiro nacional de tecnologia do Reino Unido, e José Cariqueo, chefe de operações do ChileCompra (empresa digital de compras públicas).

“Nosso desafio hoje nem é mais o da economia digital, mas é da economia em si, pois o modelo da forma como conhecemos tende a deixar e existir. E qual é a estratégia do governo de se inserir nesse processo? Precisamos pensar seriamente nisso, pois a falta de investimento em inovação e de legislação que incentive a Economia Digital está levando nosso País a perder competitividade. E isso é preocupante”, disse Thiago.

O parlamentar destacou a importância do MBC na agenda de competitividade nacional e esta nova etapa agora, quando as atenções se voltam para a definição de uma agenda digital brasileira, da qual o movimento é parceiro. “O governo tem que seguir exemplo de empresas, como a General Eletric, que estão se reinventando. Ela ganhou velocidade ao se abrir para experimentação e se voltar para o mundo digital. O setor público pode se espelhar nisso até para superar a burocracia. É preciso usar as boas experiências como exemplo”, destacou.

Além do desafio do governo de se inserir no universo digital e aumentar sua eficiência, Thiago lembrou que uma grande responsabilidade pública é investir em melhorias educacionais. “Não temos como falar em Economia Digital, que tem grande potencial no Brasil, sem falar em uma educação pública de mais qualidade. Afinal, precisa ter capital humano para alimentar as empresas do setor. Educação não tem que ser prioridade, tem que ser obsessão”, ressaltou Thiago Peixoto.

Presidente da Frente Parlamentar de Economia Digital e relator da Comissão Especial do Marco Regulatório da Economia Colaborativa, Thiago Peixoto destacou que o Congresso Nacional tem grande responsabilidade em mãos de criar leis que não barrem a inovação. “Tem gente que defende a desregulamentação, a falta de regras. Não concordo. É preciso regulamentar, mas nunca no sentido de proibição. As leis que surgirem precisam ser no sentido de incentivar. E precisamos ter muito cuidado em não criar leis hoje que possam prejudicar a inovação no futuro. O Congresso sofre pressão, mas não pode se dobrar ao corporativismo” destacou o parlamentar.

Dentre outras autoridades, participaram das discussões o governador Geraldo Alckimin, o prefeito João Dória e os ministros Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações), Eliseu Padilha (Casa Civil), Ricardo Barros (Saúde) e Elder Barbalho (Integração Nacional). O evento foi organizado pelo MBC, representando por Jorge Gerdau, presidente do Conselho Superior, e Cláudio Gastal, presidente executivo do MBC.

Com grandes

No início desta semana, Thiago Peixoto esteve em outra atividade do MBC, também na capital paulista. Ele falou a um público seleto sobre a criação, as atividades e os desafios da Frente Parlamentar de Economia Digital. Grandes empresas do setor participaram da conversa, como IBM, Intel, Amazon, Microsoft, SAP e AWS. “Precisamos ter esse contato constante com representantes do setor até para saber quais são as expectativas e demandas”, disse Thiago Peixoto.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA