logomarcadiariodegoias2017

 

Segundo pesquisa da CDL Goiânia, mais de 37% dos goianienses têm intenção de presentear com peças de vestuário neste Natal. A notícia agrada em cheio aos lojistas, que logo após pagamento do 13º registram aumento na movimentação de clientes. Eles também garantem que homens e mulheres conseguem montar dois links de fim de ano com menos de R$ 100  

Mais uma vez os itens de vestuários lideram a preferência dos goianienses para as intenções de compra de Natal, segundo pesquisa encomendada pela Câmara de Diretores Lojista de Goiânia. Conforme o levantamento, 37,8% dos entrevistados declararam que darão roupas ou calçados como presente.

A notícia agrada em cheio aos mais de 12 mils lojistas do segundo maior polo de confecção e moda do Brasil, a Região da 44, que após o pagamento do 13º salário registram um aumento no movimento do chamado atacarejo, modalidade de comércio em que o comprador aproveita o preço de atacado levando um número maior de peças para uso pessoal.

Segundo o presidente da Associação Empresarial da Região da 44, Jairo Gomes, a expectativa é de um aumento de 30 a 40% nas vendas no varejo ou atacarejo. “Esse fenômeno do atacarejo já é uma tradição nesta época do ano em nossa região. As pessoas recebem o 13º salário e vêm aproveitar os preços de atacado. Muitas vezes famílias inteiras, vindas especialmente do interior, vêm à região para comprar roupas para o ano todo e aproveitam nossos ótimos preços e qualidade”, afirma Jairo.

De acordo com o presidente da AER44, a expectativa é de que só neste mês de dezembro passem 1,2 milhão de compradores pela região. “Ainda estamos recebendo muitos compradores de atacado que vêm de cidades num raio de 200 ou até 300 quilômetros. Esses pequenos atacadistas do interior costumam vir toda semana e juntando com os compradores de varejo esse movimento acaba sendo muito intenso no fim da ano”, explica Jairo.

Menos de R$ 100

E os lojistas garantem que na Região da 44 é fácil montar um look para o Natal e o Revéillon com menos de R$ 100. “Em nossa loja, por exemplo, você consegue comprar uma blusa de viscose por R$ 20, uma calça jacar por R$ 25 e por mais R$ 35 um vestido e ainda sobre R$ 20 que dá para comprar outra blusa ou investir num acessório ou calçado”, indica o lojista Ricardo Henrique Rocha, dono loja Julia Moda Feminina no Shopping 44.

Ele também conta que já percebeu esse aumento nas compras de varejo e atacarejo após a liberação do 13º. “Tivemo uma melhora de 30% no movimento da loja e nossa expectativa é muito movimento até o fim do ano, graças a Deus”, afirma.

Dicas para comprar

Jairo Gomes, presidente da AER44, dá algumas dicas importantes para quem for visitar a Região da 44 para fazer suas compras de Natal. Confira:

1 - Vá, preferencialmente,  à região de ônibus, de táxi, Uber ou por meio de outro serviço de transporte privado acionado por aplicativo. Devido a alta movimentação de fim de ano, com muitos veículos carregando e descarregando, e a proximidade com o Terminal Rodoviário o trânsito na Região da 44 fica ainda mais complicado do que já é nos outros meses do ano. Mas se você quiser ir de carro para pode lavar suas compras com mais conforto, a maioria das galerias oferece estacionamento.

2 - Certifique-se antes se a loja aceita cartão de crédito, como o foco das lojas da 44 ao longo do ano é o atacado, não são todos estabelecimentos que trabalham com essa modalidade de pagamento;

3 - Para aproveitar os preços de atacado monte grupos de compras, junto amigos ou colegas de trabalho, ou mesmo familiares. Levando mais peças consegue-se um preço ainda melhor;

4 - Averigue com o lojista, antes de comprar, se há a possibilidade de troca, caso o tamanho não sirva. Como a grande maioria da lojas vende no atacado, são poucas as que fazem essa troca;

 

5 - A grande maioria das lojas aceita cartões de débito, o que é mais seguro para os compradores que não precisam levar muito dinheiro vivo.

E por fim uma dica da Polícia Militar que é a atenção a bolsas, sacolas e celulares. Segundo Jairo, embora a PM esteja presente na Região com mais policiamento ostensivo, e a grande maioria de shoppings e galerias possua serviço de segurança privada, o fluxo de pessoas é muito grande, especialmente nessa época do ano, e isso acaba atraindo praticantes de pequenos furtos. “Mas felizmente, em caso de alguma ocorrência, temos um posto da PM bem em frente ao terminal, funcionando 24 horas”, informa Jairo.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

SEARCH