publi do ipogA maneira como as empresas enxergam seus colaboradores está mudando. Antigamente, não se falava em Gestão de Pessoas. Havia apenas o “RH” ou o antigo “DP” (Departamento Pessoal). Mas hoje, o ser humano já é compreendido como peça-chave para que as organizações alcancem os resultados que tanto buscam. E unir Coaching e Psicologia Positiva podem ser importantes ferramentas nesse processo.

Como era antes?

Quem atuava no Departamento Pessoal cuidava apenas da parte burocrática (documentos, etc.). As pessoas eram vistas apenas como números e era preciso controlá-los até mesmo para fazer pagamentos, registros legais, entre outras demandas.

Segundo a professora do IPOG e coordenadora do MBA Gestão de Pessoas por Competências, Indicadores e Coaching, Cyndia Bressan, foi entre as décadas de 70 e 80 que começou a disseminar a conceito de Recursos Humanos. A ideia era que essa área não cuidasse mais apenas da parte documental, burocrática, mas também da parte de treinamentos, recrutamento e seleção.

No entanto, esses treinamentos ainda eram muito voltados para questões relacionadas a normas de qualidade e fabricação. Ainda não havia um foco no desenvolvimento humano.

Ela explica que foi a partir da década de 90 que houve um crescimento exponencial da área de Gestão de Pessoas, ou seja, esse antigo RH se transforma em uma área que envolve: talentos humanos, capital humano. Até porque, com as pessoas estando mais críticas, mais conscientes, as empresas precisam formar e desenvolver os colaboradores dentro do contexto organizacional, mostrando que estão preocupadas com o bem-estar delas, com o desenvolvimento pessoal e profissional.

Por que esse novo olhar sobre a Gestão de Pessoas é tão importante?

Segundo Cyndia Bressan, antes de entrar neste assunto é preciso esclarecer 2 conceitos: Gestão de Pessoas e Gestão das Pessoas.

Gestão de Pessoas: Trabalho desenvolvido por profissional de RH. Atualmente, tem o desafio de ser uma área que dê suporte e funcione como uma consultoria interna para as demais áreas da empresa e, principalmente, para os gestores da empresa. Precisa fornecer ferramentas para que o líder faça a gestão.

Gestão das Pessoas: é justamente esse trabalho que todo líder precisa fazer. Tanto que, segundo a coordenadora do MBA no IPOG, o foco deste curso, por exemplo, não é capacitar apenas profissionais de RH, mas também líderes nas organizações. Pois envolve ajudar as pessoas a serem líderes melhores e conhecerem também as ferramentas que o RH da empresa onde atua pode oferecer para que seja feita uma melhor gestão das equipes.

Esclarecendo esses dois conceitos compreende-se que o foco hoje está no desenvolvimento das pessoas que atuam nas organizações. Por isso essa nova forma de olhar é tão importante. É preciso ir além da parte burocrática e fazer da empresa um espaço para o desenvolvimento daqueles que ali trabalham.

Como Coaching e Psicologia Positiva podem ajudar?

Cyndia Bressan ainda destaca que à medida que essas mudanças foram ocorrendo, também foram surgindo desafios.

Essa nova fase, por exemplo, desafia líderes. Passa a existir um maior investimento em Gestão praticada por Líderes, para que eles possam trabalhar com essas pessoas para que as empresas fiquem cada vez mais competitivas. Em contrapartida, passa a haver uma maior cobrança para que eles saibam como liderar de forma eficaz.

“Pois é o líder que faz essa ponte entre as pessoas e a produtividade que a empresa precisa”.

Para apoiar essa Nova Gestão das Pessoas, Coaching e Psicologia Positiva se apresentam como importantes ferramentas.

– Coaching

Propicia ao indivíduo o autoconhecimento para que ele possa assumir a autoria da sua vida, da sua carreira, entre outras áreas que desejar.

– Psicologia Positiva

Aborda a importância de enxergar o indivíduo em todas as suas dimensões e promover a ele em bem-estar. Mostrar para o indivíduo a importância dele ter um significado de vida, de trabalho. Com isso, ele será capaz, por exemplo, de procurar um trabalho que lhe proporcione isso e onde ele busque também o bem-estar geral.

“Em poucas palavras. a Psicologia Positiva está relacionada a achar o seu propósito de vida e irradiá-lo na vida de outras pessoas”.

Portanto, Coaching e Psicologia Positiva se complementam, pois ambos trabalham a questão do propósito.

5 Vantagens de aplicar Coaching e Psicologia Positiva na Gestão de Pessoas

1) Autoconhecimento

As ferramentas de Coaching proporcionam acesso ao autoconhecimento. Isso implica em clareza para saber onde estou, para onde quero ir e o que preciso fazer de diferente, que não estou fazendo agora, para conseguir chegar aonde quero.

2) Identificação de Propósito

É importante para direcionar as suas ações profissionais e pessoais.

3) Conhecer melhor o outro

Conhecer melhor a si também traz um melhor conhecimento do outro. Porque ao se conhecer, você melhora o seu relacionamento com as pessoas. Seja na vida pessoal ou na trabalho.

4) Trabalhe com propósito

“O trabalho feito com significado certamente vai te trazer resultados melhores”, destaca Cyndia Bressan, professora IPOG. Resultados de satisfação e também resultados financeiros e de reconhecimento. “Porque fazer aquilo que gosta e que tem a ver com seus pontos fortes faz com que você faça melhor e seja reconhecido por isso”, complementa.

5) Pensamento macro

Você a passar a pensar no todo, no reflexo maior de suas ações. Por exemplo, as pessoas que trabalham com bem-estar, que direcionam sua carreira e sabem porque estão fazendo o que fazem, passam a compreender melhor a necessidade de pagar o preço por algumas coisas por saberem que estão contribuindo para um mundo melhor, para uma causa muito maior.

Assim, passam a contribuir mais em suas equipes, sendo pessoas mais positivas. Como líderes, desenvolvem melhor as pessoas que estão sob seu comando. Segundo a professora do IPOG, dessa maneira, cria-se uma onda positiva.

Coaching e Psicologia Positiva juntos: consequências positivas

Cyndia Bressan destaca que a maior  consequência ao aplicar Coaching e Psicologia Positiva na Gestão de Pessoas, é que essa pessoa, enquanto colaborador em uma empresa, vai gerar mais resultados porque estará trabalhando com o que gosta, o que lhe dá prazer.

E com isso, vai aliar um direcionamento pessoal, profissional. Tudo vai estar alinhado.

“Isso, com certeza, vai trazer maior bem-estar para o indivíduo, para que ele alcance o que a gente chama de Florescimento dentro do Plenitude, por exemplo”.

E tudo baseado em um propósito, mas que também parte do autoconhecimento, o qual é necessário para compreender “o que eu posso fazer para me trazer o que eu preciso”, explica Cyndia Bressan. Por isso, vale a pena aplicar Coaching e Psicologia Positiva nas organizações.

Cyndia Bressan: Mestre em Psicologia Social e do Trabalho pela Universidade de Brasília/UnB. Possui graduação e licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará/UFC. Atualmente é docente, coordenadora dos cursos: MBA Gestão de Pessoas por Competências e Coaching; MBA Gestão de Pessoas por Competências, Indicadores e Resultados do IPOG

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA