mercado imobiliarioA perspectiva de crescimento do PIB, após dois anos seguidos de resultados negativos, e a retomada, desde o início do ano, da queda na taxa de juros pelo Banco Central foram o bastante para que o forte mercado imobiliário de Goiás elevasse sua confiança. Para 2017, o setor prevê um crescimento no número de lançamentos, em relação ao ano passado. A maturidade e o potencial desse mercado em Goiás se prepara para atender a grande demanda por imóveis , os efeitos da crise tiveram forte influência no cenário de oportunidade nas ofertas , receio que esta curva está prestes a subir , agora, é hora da reação.

Goiânia, mais uma vez, demonstra que tem suas particularidades que a diferencia das outras capitais. É um mercado preparado para atender a demanda dos consumidores, com lançamentos verticais e horizontais de várias categorias: popular, médio e alto padrão.

A maior concentração de imóveis de alto e médio padrão deve se manter no Marista e no Bueno. A classe média da cidade percebe a retomada do desenvolvimento do Setor Sudoeste, que é a bola da vez do setor imobiliário. Acredito que o Sudoeste deve suprir a demanda por imóveis em condições que não conseguimos mais produzir em bairros já consolidados como o Bueno. Porém, a região está muito próxima do próprio Bueno e do Bairro Eldorado, e os produtos imobiliários desenvolvidos seguem o mesmo padrão de qualidade desse setores já consolidados.

Quando comparamos a variação de metro quadrado nos bairros tradicionais àqueles que estão iniciando o processo de verticalização, o consumidor pode esperar uma grande oportunidade de valorização e de crescimento. No Marista, por exemplo, a variação é de 84%, o menor metro quadrado é de R$4.700,00 e o maior é de R$ 8.733,00. No Setor Bueno, a variação é ainda maior, ultrapassando 100%, variando de R$4.600 de a R$ 9.400,00 o metro quadrado para imóveis novos. São disparidades enormes dentro de um único bairro e o que diferencia uma microrregião da outra é a sua localização e equipamentos urbanos como serviços, praças, parques e bosques. Essa tendência deve se estender a outras regiões próximas também em processo de verticalização como o Jardim América, Jardim Atlântico e o próprio Setor Sudoeste .

A Grande Goiânia também está bem atendida pelo mercado. Condomínios horizontais serão lançados em Goiânia , Senador Canedo e Aparecida de Goiânia, atendendo a demanda por condomínios horizontais. O que é importante agora é o consumidor ficar atento à retomada da economia, porque a tendência é o aumento progressivo no preço dos imóveis. Portanto, agora é a hora de investir.

* Ricardo Teixeira é empresário do mercado imobiliário e diretor da URBS RT Lançamentos Imobiliários

 

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA