NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A norueguesa Statoil anunciou nesta segunda (18) a compra de uma fatia de 25% do campo de Roncador, na bacia de Campos, em operação que quase triplica sua produção no Brasil e a eleva da sexta para a terceira posição entre as maiores produtoras de petróleo no país.

O negócio, de US$ 2,9 bilhões, foi o segundo envolvendo as duas companhias desde 2016: antes, a Statoil já havia comprado a fatia da Petrobras no campo de Carcará, na bacia de Santos, por US$ 2,5 bilhões.

Ela não é a única petroleira internacional que se aproveita do plano de venda de ativos da Petrobras para expandir sua atuação no país. Em 2016, a francesa Total adquiriu por US$ 2,2 bilhões fatias em quatro projetos na bacia de Santos.

Na semana passada, Petrobras e a americana ExxonMobil anunciaram um acordo de parceria estratégica que deve culminar com a transferência de participações em campos de petróleo no Brasil.

A Statoil já produz 40 mil barris de petróleo e gás no Brasil, em um campo chamado Peregrino, na bacia de Campos. Com a compra de Roncador, passará a 110 mil barris por dia, se posicionando atrás apenas da Petrobras (2,5 milhões de barris por dia) e da Shell (387 mil) no ranking e à frente da Petrogal (103 mil barris por dia).

O negócio garantiu à Statoil também acesso ao terminal de Cabiúnas, maior ponto de recebimento de gás natural produzido em campos marítimos do país, hoje usado apenas pela Petrobras.

O acesso ao terminal, em Macaé (RJ), facilita o desenvolvimento de outra descoberta da norueguesa no país, em parceria com a Petrobras, batizada de Pão de Açúcar.

"Essa transação adiciona uma produção significativa e de longo prazo para o nosso portfólio internacional, fortalecendo a posição do Brasil como uma área prioritária para a Statoil", disse, em nota, o presidente da companhia, Eldar Saetre.

A Statoil é sócia da Petrobras em 13 áreas de exploração e produção de petróleo, dez delas no Brasil. No mais recente leilão do pré-sal, em outubro, arrematou uma área em parceria com ExxonMobil e Petrogal.

DECLÍNIO

Descoberto em 1999, com reservas acima da camada de sal, Roncador é o terceiro maior campo de petróleo do país, com produção de 280 mil barris de petróleo e gás por dia. Foi o maior até 2015, quando perdeu a posição para Lula, no pré-sal.

O reservatório está hoje em fase declinante, e a Petrobras considera que a empresa norueguesa tem grande experiência em ampliar a produção em campos mais antigos.

Com a operação, a Petrobras chega à cifra de US$ 4,5 bilhões em vendas de ativos neste ano. A meta da empresa é arrecadar US$ 21 bilhões até o fim do ano que vem.

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA