lotexA concessão da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex) irá trazer benefícios para o esporte, para o sistema previdenciário e para o gasto social. Para o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, liberação da Lotex vai chamar a atenção de grandes empresas pela lucratividade do setor. 

Atualmente, 16,7% da receita da venda dos bilhetes da raspadinha vai para esportes, fundo penitenciário e seguridade social. Segundo Mansueto, a raspadinha responde por 25% do mercado mundial de loterias e o Brasil é um mercado atrativo, que precisa de mudanças para gerar um impacto positivo na modernização e na inovação do mercado lotérico brasileiro. 

A concessão da Lotex foi liberada em edição especial do Diário Oficial da União (DOU) publicada nesta sexta-feira (1°). Serão 25 anos de prazo, com o processo de licitação feito na modalidade leilão, a ser realizado em sessão pública por meio de apresentação de propostas econômicas em envelopes fechados.

Segundo Mansueto, a previsão é de que o leilão seja realizado ainda em 2017 e abra o mercado de loterias no Brasil para empresas de países como os EUA, Itália, Inglaterra. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será o responsável pela realização de todos os atos necessários à consecução da desestatização do serviço público.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA