Brasileiros têm procurado sair do país (Foto: Folha de SP)
embarque internacional

Quem resolveu deixar o Brasil por causa da crise não pensa em voltar, e o número de famílias que sai para outros países continua crescendo.

Os vistos de imigrante concedidos pelo governo norte-americano a brasileiros somaram 3.287 no ano passado. É o dobro do registrado em 2014.

"Não tem um mês em que a gente não converse com outras pessoas que querem saber o passo a passo para vir para cá", diz a empresária Vivian Mayrink Cirillo, que se mudou com o marido e os três filhos para a cidade de Weston, na Flórida (EUA), há dois anos e meio.

"A fase de transição já passou, e a ideia de voltar vai ficando cada vez mais longe", diz ela, que mantém sua empresa de gestão de marcas no Brasil.

O economista português Vasco Severo, que voltou para Lisboa depois de quatro anos no Brasil, também não pensa em retornar.

"Quando cheguei ao Brasil, era muito contatado por portugueses que queriam ir para aí. Agora são os brasileiros que me escrevem a querer vir para cá", afirma.

"O Brasil saiu do radar dos jovens qualificados que buscam trabalho", afirma o economista.

Segundo economistas, alguns efeitos da longa recessão podem perdurar por muito tempo. Sergio Firpo, pesquisador do Insper, ressalta que a crise afetou de maneira desigual os brasileiros.

"A recessão foi mais severa para os mais jovens e os menos escolarizados. Certamente isso terá efeito sobre a desigualdade."

Segundo o professor, estudos mostram efeitos também sobre os jovens que entram no mercado de trabalho durante uma crise econômica. "É uma geração que terá impacto sobre os salários, a saúde, que vai ter perdas em relação a outras gerações que não passaram por isso."

(FOLHA PRESS)

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA