Carlos Arthur Nuzman
prisao nuzman

O juiz Marcelo Bretas converteu nesta segunda-feira (9) a prisão temporária do presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil), Carlos Arthur Nuzman, em preventiva, o que torna sua saída da cadeia sem prazo definido. Na mesma decisão, o magistrado renovou a prisão temporária de Leonardo Gryner.

Bretas entendeu que ambos ainda podem interferir nas investigações sobre a suposta compra de votos na eleição do COI (Comitê Olímpico Internacional) que escolheu o Rio como sede da Olimpíada de 2016.

O caso de Nuzman foi considerado mais grave em razão do e-mail em que o dirigente determina o pagamento R$ 5,5 milhões com recursos do comitê organizador da Rio-16 a um escritório de advocacia para sua defesa criminal.

"O investigado ocupa a presidência do COB há mais de 20 anos, exercendo grande poder e influência sobre seus integrantes, provavelmente, a maioria lá colocada por ele. Tal influência ficou clara com a situação anteriormente exposta em que bastou um e-mail de Nuzman para efetivar o pagamento de R$ 5.500.000,00 (cinco milhões e quinhentos mil reais) para a prestação de serviços advocatícios", escreveu Bretas.

Embora o e-mail indique emissão de nota fiscal para o serviço e aprovação para o pagamento, a assessoria do Comitê Rio-16 afirma que o pagamento não foi feito. Segundo o órgão, houve veto do Conselho Diretor, que determinou o cancelamento da nota fiscal.

O comitê organizador da Rio-2016 acumula mais de R$ 110 milhões em dívidas fornecedores. A prisão encerrou as negociações do COI para ajudar na quitação dos débitos.

Gryner teve a prisão temporária renovada porque a Polícia Federal ainda não conseguiu acessar o e-mail da ex-secretária de Nuzman, Maria Celeste, para quem o senegalês Papa Massata Diack enviou mensagens cobrando a suposta propina. O magistrado entendeu que até a disponibilização dessas mensagens, há risco à investigação.

A defesa de Nuzman não se pronunciou até a publicação desta nota.

Os advogados de Gryner afirmaram, em petição à Justiça Federal, que seu cliente já se desligou dos "comitês relacionados à Olimpíada Rio-2016, não havendo, portanto, qualquer relação atual com o COB".

"Assim, não há como afirmar que ele possui qualquer ingerência sobre as contas de e-mail", diz a petição.

FUTURO DO COB

Na quinta, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) convocou uma assembleia geral extraordinária na próxima quarta-feira, às 14h30, no Rio, para discutir sua suspensão do COI (Comitê Olímpico Internacional) e a prisão de seu presidente, Carlos Arthur Nuzman.

No sábado, o cartola encaminhou a outros integrantes da cúpula uma carta na qual pede seu licenciamento. Em tese, ele pode chegar até mesmo a 90 dias.

Dentro do próprio COB, porém, acredita-se que o ciclo do cartola já está encerrado. Ele também se afastou do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

O afastamento vai evoluir para uma renúncia. Isso deve ser selado na quarta-feira (11), quando presidentes das quase 30 confederações esportivas associadas ao COB estarão presentes à assembleia geral extraordinária convocada pelo presidente em exercício do COB, Paulo Wanderley Teixeira.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA