Simone & Simara e Wesley Safadão estão entre as atrações
simone barretos

Uma disputa a mais entre touros e peões na arena neste ano em relação aos eventos passados -serão quatro durante os próximos 11 dias-, overdose de música sertaneja e apelo às tradições caipiras.

Esse é o cardápio principal da 62ª edição da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (a 423 km de São Paulo), que será aberta na noite desta quinta-feira (17) e busca se reinventar para manter a fama de "meca" caipira.

A festa terá cem shows nos seis palcos do Parque do Peão ""um deles no estádio de rodeios projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012). Quase todas apresentações serão de artistas sertanejos.

Nas últimas duas décadas Mariah Carey, A-Ha, Ivete Sangalo, bandas de rock e até a escola de samba Unidos da Tijuca se apresentaram por lá.

"Temos de nos reinventar a cada ano, em todos os sentidos. Começamos lá atrás com dois artistas juntos no palco e shows exclusivos. Os artistas hoje são quase sempre os mesmos [nas festas], mas o show que fazem aqui não é o mesmo", diz o presidente da festa, Hussein Gemha Júnior.

"Além disso, rodeio tem em todo lugar, mas é aqui que traremos campeões mundiais para competir. Quem consegue isso?", completa.

A previsão é que a festa receba de 900 mil a 1 milhão de visitantes.Alvo de críticas de entidades por supostos maus-tratos aos animais, o rodeio busca focar muito neste ano a modalidade como esporte, segundo o diretor de rodeio do evento, Marcos Sampaio de Almeida Prado.

Em sua 25ª edição, o Barretos International Rodeo será realizado entre os dias 24 e 27, com premiação total de R$ 370 mil, e contará com brasileiros que competem nos EUA, como Silvano Alves (tricampeão mundial), Guilherme Marchi (campeão mundial), Kaique Pacheco e João Ricardo Vieira.

Haverá, ainda, o rodeio júnior (para peões de 16 e 17 anos), e outras provas, como cutiano (montaria em cavalos), team penning (apartação) e três tambores.

A novidade para este ano foi a criação do Super Touros Combate, em 25 de agosto, que reunirá os cinco melhores touros contra os cinco peões mais bem classificados.

LEGAL

Para o diretor da Festa do Peão, a aprovação da PEC 304, que definiu não considerar "cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, desde que sejam manifestações culturais [...] registradas como bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro", reconhece a importância do rodeio.

Não é o que pensa Vanice Orlandi, presidente da União Internacional Protetora dos Animais. "Não é só o sedém [cinta de lã colocada na virilha dos animais] que é uma tortura. Mesmo nas provas em que isso não ocorre, o animal sofre estresse de ter de entrar correndo nas arenas."

Além das montarias e shows, o parque abrigará competições como a Queima do Alho [concurso gastronômico com comida de comitivas], catira, festival musical e concurso de berrante.

"Importante não deixar de fazer, para não cair no esquecimento. Em nossa história passamos por apagão, epidemias, crises financeiras, ditadura e nunca deixamos de fazer festa. Não podemos perder as raízes", diz Gemha Júnior.

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA