Reprodução/Facebook
caminhao noruega

Um caminhoneiro conseguiu evitar uma tragédia por centímetros na Noruega. Jovens desceram do ônibus da escola, em Oslo, capital do país, e de forma imprudente atravessaram a estrada correndo o risco de serem atropelados.

Parado atrás do transporte escolar, outro motorista viu quando uma adolescente, de blusa preta, pensa que tem tempo de completar a travessia e se lança na frente do caminhão.

Veja o vídeo:

O momento de tensão, que por pouco não se concretizou em grave acidente, foi registrado pela câmera do ônibus de Tor Bjørn Kyrkjebø. O motorista contou à rede "NRK Nyheter" que piscou com os faróis e assobiou para alertar os jovens e o caminhoneiro, que freou em cima da hora e conseguiu parar o veículo pesado a centímetros da estudante.

Kyrkjebø relatou que cinco jovens saltaram do ônibus e logo quiseram atravessar a movimentada estrada. Como correram por trás do coletivo, não viram a aproximação do caminhão, no sentido oposto da via.

"Eu vi os jovens e vi que (a tragédia) estava prestes a acontecer, mas tinha pouco que eu poderia fazer. Eu vi sobre o teto do ônibus que era um caminhão em grande velocidade. Foi muito horrível vê-lo, até eu te ver que estava tudo bem. Demorou um tempo antes de cair completamente a ficha que tinha ficado tudo bem", ressaltou Kyrkjebø, que fez questão de mostrar o vídeo aos netos e alertá-los sobre a conduta correta ao atravessar.

A empresa responsável pelo ônibus da escola vai apurar por que o motorista deixou as crianças descerem fora do ponto. "Devemos pegar todas as cartas na mesa e conversar com o motorista. Estamos em diálogo para evitar episódios infelizes semelhantes no futuro", informou a companhia de transporte.

A avaliação de analistas de trânsito seguro é de que não houve catástrofe "por sorte", segundo a "NRK Nyheter". O "quase acidente" ocorreu em 19 de junho, mas só foi divulgado à mídia europeia neste fim de semana em meio aos debates sobre a segurança de ônibus escolares e a imprudência dos estudantes após deixar o coletivo.

Com informações do jornal Extra

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA