O produtor cinematográfico Harvey Weinstein foi acusado pelas atrizes Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie de assédio sexual, além de receber acusações de estupro por outras três mulheres.

Jolie contou que foi assediada por Weinstein em 1998 durante a divulgação do filme "Corações Apaixonados".

"Eu tive uma experiência com Harvey Weinstein quando era jovem e, como resultado, escolhi jamais trabalhar com ele novamente, e avisei outras mulheres quando elas trabalharam", disse Jolie ao "New York Times". Ela disse ainda que esse tipo de comportamento é inaceitável.

Paltrow afirmou ter sido convocada para encontrar Weinstein em seu quarto de hotel antes das gravações do filme "Emma", quando tinha 22 anos. Ela contou que o diretor a tocou e sugeriu que eles fossem ao quarto para "fazer massagens".

"Eu era uma criança, tinha acabado de assinar o contrato e fiquei petrificada", disse Paltrow. A atriz disse ainda que recusou as investidas do produtor e que foi ameaçada por ele após contar o que aconteceu para o seu namorado na época, Brad Pitt. O ator confirmou o relato ao "New York Times".

Em uma matéria publicada nesta terça-feira (10) pela revista "New Yorker", a atriz e diretora italiana Asia Argento, a atriz Lucia Evans e uma mulher que decidiu não revelar sua identidade acusaram Weinstein de forçá-las a ter relações sexuais. Mira Sorvino, Rosanna Arquette e outras quatro mulheres também afirmaram à publicação terem sido tocadas indevidamente pelo produtor.

Weinstein foi demitido, neste domingo (8), da produtora que dirigia e que leva seu próprio nome após as acusações de ter assediado sexualmente mulheres por décadas.

Por meio de comunicado, Weinstein negou as acusações de estupro. "Todas as acusações de estupro foram negadas pelo Sr. Weinstein, que confirmou nunca ter forçado mulheres a fazer sexo com ele", disse Sallie Hofmeister, porta-voz do produtor.

"Sr. Weinstein não pode falar sobre acusações anônimas, mas respeita qualquer mulher que tenha feito a denúncia contra ele. Sr. Weinstein acredita que todas as relações sexuais com estas mulheres foram consensuais."

Leia mais:

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA