O furacão Harvey, que chegou a ser classificado como categoria 4 na velocidade dos ventos (a segunda maior) ao se aproximar do Texas, perdeu força ao entrar em território americano e foi rebaixado na manhã de sábado (26) para categoria 1, com ventos de 119 a 153 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

Segundo o instituto, o furacão provavelmente se tornaria uma tempestade tropical até o fim do sábado. Ainda assim, ele se deslocava lentamente pelo Texas, o que o tornava mais perigoso.

Até a publicação deste texto, não havia registro de mortos nem feridos graves.

Mesmo com ventos mais fracos do que o previsto, o furacão causou vários estragos. Ao menos 250 mil pessoas ficaram sem energia elétrica, segundo o governo do Texas.

De acordo com equipes de resgate entrevistadas pela rede CNN, a devastação irá deixar áreas "inabitáveis por semanas ou meses".

Na cidade de Rockport, idosos tiveram que ser transferidos para uma prisão local após o telhado do asilo onde estavam ter sido destruído pela tempestade.

Ao menos dez pessoas ficaram feridas na cidade de pela queda de telhados, árvores arrancadas e veículos danificados, disse Kevin Carruth, um agente municipal.

Antes da chegada do furacão, o prefeito disse que todos os que decidiram ficar na região deveriam escrever seus nomes em seus braços para facilitar a identificação em caso de morte ou ferimento.

Ante o potencial devastador do Harvey, o presidente Donald Trump declarou estado de catástrofe natural e a pedido do governador do Texas, Greg Abbott. Ele assinou a chamada proclamação de desastre, que poderá liberar fundos federais para ajudar nas emergências.

O prefeito da cidade de Victoria (sul do Texas) estima que cerca de 65% dos 65 mil habitantes da cidade desafiaram a ordem de retirada obrigatória de suas casas.

Enquanto milhares fugiram das esperadas inundações, muitos moradores ficaram em suas casas abastecidos com alimentos, combustível e sacos de areia, desrespeitando o aviso público.

Este foi o primeiro furacão de categoria 4 a atingir os EUA desde o Charley, em 2004, e o primeiro a atingir o Texas desde o Carla, em 1961. O Harvey foi a tempestade mais forte em mais de 50 anos a atingir o Texas.

Na história recente, o mais mortal dos furacões a atingir os EUA foi o Katrina, em 2005, que deixou mais de 1.800 mortos e milhares de feridos. (Folhapress)

Leia mais:

 

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA