Luan - Coletiva Grêmio
coletiva luan

Depois de ser derrotado pelo Real Madrid em uma partida em que foi dominado na final do Mundial de Clubes, o Grêmio desembarcou na manhã desta segunda-feira (18) no Brasil justificando o resultado como reflexo da superioridade do time espanhol em termos de poderio financeiro.

Ainda em São Paulo, antes de embarcar para Porto Alegre, alguns jogadores como Marcelo Grohe e Luan concederam entrevistas, sendo que o atacante gremista rebateu críticas de que ele e o time jogaram abaixo das expectativas.

"Torcedor pode dizer o que quiser, né... Mas é fácil né... Há duas semanas nós fomos campeões da Libertadores e o time todo era bom. E agora que perdeu um jogo para o Real Madrid todo mundo é ruim. Isso é normal, coisa de torcedor. Não ligo para isso, podem falar o que quiser, minha cabeça está boa. Eu sei que nas condições que eu tinha, tentei ajudar meus companheiros, isso que importa", disse.

O goleiro Marcelo Grohe também defendeu a atuação de Luan. Para ele, as dificuldades impostas pelo Real Madrid fizeram com que o Grêmio não conseguisse desenvolver seu jogo.

"É um grande jogador, muito talentoso e obviamente se espera muito sempre do Luan pela qualidade que ele tem. Mas como eu disse a equipe deles neutralizou a nossa e a gente não teve a bola. Não tem como culpar A, B ou C. Infelizmente não conseguimos jogar, na maior parte do tempo marcarmos. Pela qualidade do Real Madrid, eu não vejo desta forma", disse.

Já em entrevista para o "SporTV", Grohe discorreu sobre a superioridade financeira do Real Madrid. Para ele, o time consegue fazer uma seleção de jogadores que desequilibra a comparação com os clubes brasileiros em geral.

"A gente falou, conversou sobre o jogo. Acho que analisando toda a situação, você pega o Real Madrid pode escolher os jogadores que querem, escolhem a dedo.

O orçamento que eles têm é incomparável com qualquer time brasileiro. Não só o Grêmio, e até mesmo times de todo o mundo. Tem muito o que discutir em relação a isso", disse.

"Acho que até uma comparação desigual comparar o time mais poderoso do mundo com qualquer equipe brasileira. Se você pegar o elenco do Real, são jogadores somente de seleções de seus países, e os melhores de cada seleção. Você tem o Bale de 100 milhões de euros que estava no banco e entrou. São situações que acabam desfavorecendo qualquer equipe brasileira e sul-americana, mas dentro de campo são 11 contra 11, isso que tentamos. Mas eles foram muito superiores a nós e merecerem o título", completou.

Por isso, Grohe acredita que a derrota na final do Mundial não diminui em nada a temporada do Grêmio, que foi campeão da Libertadores.

"Já passou, não tem muito o que falar. Vocês viram o jogo, viram a qualidade do Real era muito grande, e infelizmente para nós e eles são superiores. Foi superior e ponto. Não tem muito o que ficar falando. Tentamos dar o máximo dentro das possibilidades, não foi suficiente, mas saímos de cabeça erguida, conseguimos a vaga na final e a torcida está muito orgulhosa de nos pela temporada que fizemos", disse.

Por último, ele explicou a postura do Grêmio, que pouco agrediu o Real Madrid ao longo do jogo.

"A gente tentou. Se a gente poderia sair um pouquinho mais ou ter agredido mais, poderíamos nos expor mais e acabar sendo goleado, proporcionando o contra-ataque, que é fulminante como eles têm. Ficamos vivos até os minutos finais. Nos 5 minutos finais tivemos a bola, mas não conseguimos infiltrar na defesa do Real", analisou.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA