logomarcadiariodegoias2017

Gabriel - Benfica. (Foto: Instagram)
kia gabi

MARCUS ALVES
LISBOA, PORTUGAL (UOL/FOLHAPRESS) - Preocupada com um possível prejuízo, a Inter de Milão pediu ao empresário Kia Joorabchian que conduza as conversas em torno do futuro de Gabigol, atualmente emprestado ao Benfica. O São Paulo é o favorito na briga pelo atacante.

O agente iraniano já havia sido acionado pelos italianos para superar a concorrência da Juventus e garantir a chegada da revelação do Santos em 2016. Com trânsito no futebol brasileiro, ele tem como missão agora resguardar os seus cofres e, em novo empréstimo após o fracasso em Portugal, assegurar que o próximo clube assuma uma fatia maior do salário do jovem jogador de 21 anos, estimado em pouco mais de R$ 1 milhão.

No estádio da Luz, o Benfica é responsável por arcar com um terço de seu vencimento, ao redor de R$ 400 mil mensais. O objetivo é conseguir um acordo meio a meio.

Kia possui relação estreita com os novos donos da Inter de Milão e, ao lado de seu sócio Giuliano Bertolucci, intermediou a ida de Gabriel Barbosa para o Giuseppe Meazza ao fim dos Jogos Olímpicos de 2016. Na ocasião, eles acertaram para receber comissão parcelada pelo negócio até 2019.

Em sua maioria, os contatos estão sendo feitos até aqui diretamente com o pai do atleta, Valdemir Silva. Conforme antecipado pelo UOL Esporte, foram quatro times a fazer consulta ainda em novembro e que seguem no páreo.

O Santos conta com a predileção da família Barbosa e chegou a ser procurado pelo próprio Valdemir, mas se nega a desembolsar R$ 600 mil em salário. O Cruzeiro manteve contato direto antes mesmo de sua eleição presidencial, assim como o Flamengo. No entanto, o São Paulo foi quem mais avançou ao conversar em diversas frentes através do técnico Dorival Júnior e membros de sua comissão como o auxiliar Leonardo Porto, que trabalharam com o atacante na Vila Belmiro.

INGLATERRA

Segundo adiantado pela reportagem, Gabigol e Kia Joorabchian já chegaram, inclusive, a se encontrar em Londres, ainda em novembro, para discutir o futuro durante a pausa da data Fifa das seleções.

O reforço trazido por 33,5 milhões de euros (R$ 130 milhões) pela Inter ouviu na passagem pela capital inglesa que os italianos não andavam satisfeitos com a progressão de sua carreira e que ele tinha de 'repensá-la'.

O 'recado' tinha motivo de ser: a escolha da ida para Portugal teve participação direta de Gabigol, que via no Benfica o destino ideal para conseguir os minutos que não teve na Inter, disputar a Liga dos Campeões e se adaptar ao futebol europeu. Para isso, ele rejeitou todas as outras possibilidades colocadas na mesa pelos italianos e bateu o pé para se mudar para Lisboa.

Não funcionou, no fim das contas. Ele entrou em campo apenas cinco vezes, totalizando 165 minutos desde o fim de agosto.

O discurso de seu estafe é de que o seu não aproveitamento passa por uma estratégia do Benfica de não valorizar um ativo que pertence a outra equipe e priorizar pratas da casa. "Por que iriam dar chance a 'filho' dos outros?", indagam. Eles ainda pontuam que, nas duas chances que teve como titular, o ex-santista balançou as redes -um dos gols foi anulado de forma equivocada.

Em menos de seis meses em Portugal, Gabigol acabou colecionando controvérsias fora de campo também: entre outras, desentendimento com o compatriota Jardel em treino, saída mais cedo de estádio após não ser relacionado e ida para a balada antes de folga.

Ele está emprestado ao Benfica até o final da temporada, com opção de compra de 25 milhões de euros. O seu contrato na Inter de Milão é até junho de 2021.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

BUSCA