Diego Alves. (Foto: Gilvan de Souza - Flamengo)
gilvan souza

O goleiro Diego Alves terá de ser operado para tratar a fratura na clavícula sofrida na vitória do Flamengo sobre o Junior Barranquilla por 2 a 1, na última quinta-feira (23), no Maracanã.

O anúncio foi feito pelo médico do clube Márcio Tannure. O prazo de retorno é de pelo menos dois meses.

"O tratamento é cirúrgico. Ele será operado amanhã [sábado]. O tempo de retorno esperado é de cerca de oito semanas para essa cirurgia. Temos a expectativa de que no ano que vem esteja apto para retomar as atividades dele", afirmou Tannure.

"É uma fratura que em alguns casos poderia ser tratado conservadoramente, mas optamos pela cirurgia até para tentar evitar qualquer possível consequência negativa", completou.

A expectativa é a de que o goleiro já possa realizar trabalhos na físicos (bicicleta ergométrica, etc) dentro de 15 dias. O certo é que ele perderá o início da pré-temporada e só deve reunir condições de entrar em campo novamente no mês de fevereiro.

O lance que causou a fratura aconteceu aos 18 minutos do primeiro tempo. Diego Alves se lesionou após um choque forte com o meia Yony González, do Junior Barranquilla. Alex Muralha entrou em seu lugar e será o titular no restante da temporada.

Após consulta realizada na Conmebol, o Flamengo foi liberado para inscrever o goleiro César. Ele havia saído da lista justamente para a entrada de Diego Alves e existia a dúvida se poderia retornar.

Gabriel Batista, quinto goleiro, já estava de sobreaviso. A entidade, no entanto, liberou a inscrição de César, já que o jogador não saiu da lista por lesão.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA