Cícero abraçado por Renato Gaúcho. (Foto: Site Grêmio)
cicero

Nem o brasileiro Luan e nem o argentino Lucas Barrios. O Grêmio contou com um gol de um herói improvável para vencer o Lanús por 1 a 0, nesta quarta-feira (22), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, na primeira partida da final Copa da Libertadores.

O herói gremista foi o meio-campista Cícero, 33, contratado há menos de dois meses e um dos últimos atletas inscritos pela equipe no torneio.

O jogador foi chegou para disputar apenas o torneio sul-americano, já que tinha disputado dez partidas pelo São Paulo no Brasileiro e não poderia ser inscrito pelo time gaúcho no Nacional. Ele estava afastado do elenco são-paulino por Dorival Júnior.

Com a vitória simples, o Grêmio jogará por um empate no segundo confronto, marcado para a próxima quarta (29), na Argentina.

Sem o gol fora de casa com o valor dobrado na final, os argentinos precisam vencer por dois gols de vantagem para ficarem com o título da competição. Se ganharem pela diferença mínima, o jogo vai para a prorrogação e, posteriormente, para os pênaltis.

Campeão em 1983 e 1995, o Grêmio busca o seu terceiro título do torneio sul-americano. Se conseguir, iguala São Paulo e Santos, clubes brasileiros que mais vezes levantaram o troféu no torneio.

A equipe gaúcha joga também para quebrar outros dois tabus. O primeiro é desbancar um argentino na decisão do campeonato. Finalista também em 82 e 2007, o time perdeu para o Indepediente e Boca, respectivamente.

O outro tabu corresponde ao futebol brasileiro. Desde 2013, o país não conquista o título da competição. O último campeão foi o Atlético-MG, que derrotou o Olimpia.

O Grêmio busca o título também para salvar o ano após fazer boas campanhas nas outras duas competições. Foi semifinalista da Copa do Brasil -perdeu para o campeão Cruzeiro- e está em segundo lugar no Brasileiro.

Se o time gaúcho joga para quebrar tabus e igualar feitos de outros rivais, o Lanús buscará na próxima quarta o seu primeiro título do torneio em sua sexta participação.

MUITA PRESSÃO, POUCAS CHANCES

Mesmo com o apoio da torcida que lotou a arena, o Grêmio não conseguiu repetir o futebol de outras partidas na competição e parou na forte marcação argentina.

A equipe teve dificuldades para trocar passes rápidos e Luan, o principal jogador do time, não conseguiu jogar nas entrelinhas do adversário.

Assim, pouco ameaçou o goleiro Andrada. Aliás, a melhor oportunidade na etapa inicial foi aos 44min, quando o camisa 28 saiu jogando errado e a bola sobrou para Athur, que pressionou não conseguiu concluir.

Já o time argentino se soltou após a metade da etapa inicial e criou duas excelentes chances. Na primeira, Martínez recebeu dentro da grande área e exigiu boa defesa de Grohe. A segunda foi em uma cabeçada de Braghieri, que obrigou o goleiro gremista a fazer um milagre.

Na etapa complementar, o Grêmio trocou passes e até esboçou pressionar o adversário, mas criou apenas uma chance de gol em uma cabeçada de Jailson para fora. O time sentiu a falta de Luan, que esteve muito bem marcado e pouco apareceu no jogo.

Renato ainda fez três alterações e colocou a equipe mais à frente. Ele tirou o volante Jailson e colocou o meio-campista Cícero. O treinador ainda pôs Everton na vaga de Fernandinho e Jael no lugar de Barrios.

Quando a partida caminhava para terminar empatada, o Grêmio abriu o placar. Após uma bola alçada para a área, Jael desviou de cabeça e Cícero só tirou do goleiro para marcar aos 40min do segundo tempo.

Após o gol, os torcedores acenderam sinalizadores e a partida foi paralisada pelo árbitro chileno Julio Bascuñán. Já com a visibilidade melhor, a bola voltou a rolar na Arena.

O Grêmio ainda teve tempo de ir ao ataque e pedir pênalti em Jael aos 50min. O atacante foi derrubado após empurrão, mas o árbitro ignorou a falta e encerrou a partida -para fúria dos gremistas, que reclamaram bastante.

DESFALQUE

No segundo jogo, o Grêmio não terá Kannemann, que recebeu o terceiro cartão. Ele deverá ser substituído por Thyere ou Bressan.

GRÊMIO

Marcelo Grohe; Edilson, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Arthur e Jailson (Cícero); Ramiro, Luan e Fernandinho (Éverton); Barrios (Jael). T.: Renato Gaúcho

LANÚS-ARG

Andrada; Gómez, García, Braghieri e Velázquez (Aguirre); Marcone, Martínez e Pasquini; Alejandro Silva, Sand e Acosta. T.: Jorge Almirón

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Juiz: Julio Bascuñán (Chile)

Cartões amarelos: Kannemann, Jailson e Cícero (GRE); Acosta, García, Velázquez e Braghieri (LAN)

Gol: Cícero (GRE), aos 37min do segundo tempo

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA