globo fifa

O PT (Partido dos Trabalhadores) anunciou nesta quinta-feira (16), em comunicado em seu site oficial, que apresentou à Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, uma representação criminal contra a Rede Globo. A requisição foi feita após a emissora ter sido acusada de pagar propina para adquirir os direitos de transmissão de partidas de futebol, durante julgamento de dirigentes envolvidos no 'FifaGate' nos Estados Unidos.

A iniciativa trata como evidência as delações do empresário argentino Alejandro Burzaco à Justiça norte-americana. De acordo com ele, a Globo e a Televisa teriam, em março de 2013, pago US$ 15 milhões (cerca de R$ 50 milhões, em cotação atual) em propinas à TyC (Torneos y Competencias), empresa de marketing esportivo responsável por negociar a venda dos direitos de transmissão no continente.

Este dinheiro teria sido repassado a Julio Grondona, ex-presidente da AFA (Associação de Futebol da Argentina) e então membro do comitê financeiro da Fifa.
Burzaco se entregou para a Justiça norte-americana em 2015 e é considerado uma das principais testemunhas do caso. De acordo com ele, a TyC teria vendido os direitos abaixo do preço do mercado para sua subsidiária holandesa que, então, recebia as quantias da TV Globo. Uma parcela deste dinheiro seria repassada em propina aos oficiais da Conmebol.

A acusação ocorreu durante o julgamento do caso Fifa nos EUA, que tem como réus, nesta etapa, José Angel Napout, um dos sucessores de Leoz na Conmebol, o ex-presidente da CBF José Maria Marin e o ex-mandatário da Federação Peruana de Futebol, Manuel Burga.

Em testemunhos dados durante o processo nos últimos dias, Burzaco, da empresa TyC, vem incriminando os dirigentes pelo recebimento de propinas em troca de direitos de transmissão de competições na América do Sul.

A Globo negou o envolvimento no pagamento de propina e se disse surpresa com as acusações feitas por Burzaco. A emissora divulgou comunicado na terça-feira em que afirma ter feito auditoria interna por mais de dois anos e que os pagamentos feitos foram apenas os previstos por contratos de direitos de transmissão.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA