Diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto. (Foto: Daniel Augusto Jr)
flavio adauto foto daniel augusto jr

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, disse na manhã desta quarta-feira (1º) que o Corinthians não vive pressão interna em meio à série de maus resultados no Campeonato Brasileiro.

Assim como o gerente Alessandro Nunes, o dirigente ainda saiu em defesa de Jadson e Carille. "Eu não estou vendo essa pressão. É muito mais externa que interna. Uma discussão em campo, eu vejo bem, um camarada quer bater uma falta. Esse tipo de coisa é corriqueira. Acontece tão pouco no Corinthians. Um fato que passou, mas foi positivo. Mas pressão? Tenho visto externo, o acompanhamento da pontuação", disse Adauto.

"Teve gente falando que tem que trancar os jogadores. É normal o torcedor estar receoso, com medo de perder algo que externamente disseram que não estava ganho. Quem mais não quer ser campeão neste time? Ninguém quer mais esse título que os jogadores. O resultado de segunda seu mais segurança, mas não mais tranquilidade", completou.

O diretor corintiano também negou que haja descontentamento em relação à postura de alguns jogadores. Segundo ele, se isso acontecesse, uma solução seria encontrada internamente.

"[Estamos] Satisfeitíssimos com o comportamento dos jogadores. Se algo tivesse detectado, íamos resolver internamente. Mas mentiria se falasse que tivemos uma ocorrência que atrapalhou. Tivemos uma queda. Fomos apresentados como campeões, mas não por nós. Não vi relaxamento e não detectamos nada, não teve nada, só uma queda natural", frisou Adauto.

Carille e Jadson

Alvos de críticas de torcedores nas redes sociais, o técnico Fábio Carille e o meio-campista Jadson ganharam apoio público de Adauto e Alessandro.

"Não vamos julgar o trabalho se foi campeão ou não. Temos um projeto a longo e médio prazo", afirmou Adauto, que criticou as análises. "Até outro dia Carille era a maior revelação do futebol."

"A crítica é importante ao profissional e vão trazer para ele aprendizado. Quase impossível passar ileso a críticas. Estamos no Corinthians. Estamos liderando a competição mais desejada do país. As críticas serão importantes para o amadurecimento dele", ressaltou Alessandro.

Adauto e Alessandro usaram Jô como exemplo de Jô para falar de Jadson. De acordo com ele, não há problemas de comportamento no elenco corintiano.

"Dois videos correm na internet. Um de Jô de 2014. Um de Arana no aniversário dele com copo de cerveja. Isso virou o mundo. E vivem mais aqui que com a família. Se na folga não poder tomar cerveja e ficar com os amigos, estão perdidos. São coisas velhas tudo isso", explicou.

"Acho engraçado alguns pontos que vocês se apegam -parte física, balada, foto, internet. Vocês bombardearam o Jô quando ele chegou por causa de uma foto. Será que mudou ou os gols deixaram ele melhor? Não posso me apegar a uma foto. O que avaliamos é o trabalho, a dedicação e o profissional. Essa avaliação nós fazemos", disse Alessandro. (Folhapress)

Leia mais:

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA