Meia Hermanes. (Foto: SPFC)
hermanes sao paulo foto spfc

Destaque do São Paulo desde que chegou da China nesta temporada, o meia Hernanes considera improvável a permanência em definitivo no clube. Aos 32 anos, o jogador está emprestado pelo Hebei China Fortune até o final de julho de 2018 e não acredita que vá ficar no Brasil após essa data.

"A possibilidade é pequena. Apesar de pequena, existe. Mas não sei como se daria essa transação. Acredito que 1%, uma chance bem pequena. Não sei dizer o tamanho da possibilidade, mas é bem difícil", declarou o jogador em entrevista ao programa "Bem, Amigos!", do SporTV, na segunda-feira 31.

Nos 15 jogos pelo clube tricolor nesta temporada, Hernanes viu a equipe obter um aproveitamento digno de um time do G-4 do Campeonato Brasileiro, não um que briga contra o rebaixamento. Foram 24 pontos somados pelo São Paulo desde a estreia do meia, aproveitamento de 53,3%, o quarto melhor de toda competição.

Neste período, Hernanes teve uma participação ofensiva efetiva, com oito gols marcados e mais três assistências. Agora com 40 pontos, o São Paulo começa a sonhar com uma possível vaga na Libertadores, mas o meia diz ter somente uma meta em mente no momento: 47 pontos.

"O nosso objetivo são os 47 pontos para termos certeza e segurança de que atingimos o objetivo que nos propusemos. Isso é o mais importante. Temos de ver em que momento atingimos. Se atingirmos rapidamente, podemos pensar em algo mais, mas não atingimos ainda", declarou o jogador.

Apesar disso, Hernanes revelou que se pegou pensando em uma reação absurda no final da competição. "Parece que ninguém quer ser campeão. É engraçado. O Corinthians perdeu ontem (domingo) e comecei a pensar: eles têm 59 pontos, temos 40, são 19 pontos de diferença, vamos disputar 21... Fui fazendo as contas, mas logo pensei: calma, calma, o objetivo é outro. Essa conta gasta muita energia e não podemos nos dar ao luxo de calcular isso. Não quero e me recuso a pensar nisso", lembrou.

11º colocado, o São Paulo está a cinco pontos da zona de rebaixamento. (Folhapress)

Leia mais:

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA