dani e cavani

Um lance chamou a atenção na vitória do PSG contra o Lyon, 2 a 0, no fim de semana. Neymar, Daniel Alves e Edinson Cavani travaram disputa para ser o cobrador de falta na entrada da área. Com a bola na mão, Alves impediu o atacante uruguaio de bater, repassando a bola para Neymar cobrar.

Indagado sobre a jogada, o lateral declarou que não deu privilégio a Neymar. Bem humorado, Daniel Alves contou que sua intenção era cobrar a falta, mas que acabou cedendo ao pedido de Neymar.

"Eu ia chutar. Eu peguei a bola para chutar, porque já fiz alguns golzinhos. Estava confiante ali", comentou Alves ao "SporTV".

"Eu, naquele momento, queria chamar a responsabilidade, mas depois o Ney [Neymar] tomou a bola de mim e acabou batendo. Eu já tinha batido a primeira e peguei para tentar chutar, mas infelizmente não pude", complementou o lateral brasileiro.

Na cobrança da falta, Neymar chutou, e o goleiro tocou na bola antes de acertar o travessão.

Mais tarde, Mbappé sofreu pênalti. Cavani pegou a bola e, quando estava se preparando para cobrar, foi abordado de novo pelo brasileiro, que pediu para bater, mas ele saiu balançando a cabeça negativamente, visivelmente contrariado.

Cavani fez a cobrança, e o goleiro Anthony Lopes defendeu. A bola bateu no travessão, na linha e saiu. O erro não fez falta, pois o PSG conseguiu vencer por 2 a 0.

Após a partida, o técnico Unai Emery comentou sobre o ocorrido: "vamos resolver no grupo. Tem vários jogadores que podem cobrar os pênaltis. Os dois são capazes de cobrar os pênaltis e não há uma hierarquia. Se não há um acordo entre os dois, tomarei uma decisão".

EGOS

O principal assunto no futebol francês é a "guerra de egos" entre Neymar e Cavani. Nesta segunda (18), o assunto domina os jornais.

A tensão entre os dois jogadores do mesmo time foi vista como uma "guerra de egos" pelos jornais franceses. O espanhol "Sport" chegou a cutucar citando o "problema no paraíso" do PSG.

Principal jornal francês, o "L'equipe" disse que Cavani está isolado no PSG após a chegada de Neymar e Mbappé. "Seus companheiros de ataque [Neymar e Mbappé] passaram a bola para o uruguaio 2 vezes, enquanto Mbappé deu 9 passes a Neymar", diz o jornal, que também mostra que brasileiro e uruguaio não trocaram muitos passes no jogo de domingo. "Foram dois passes de Neymar para Cavani".

"Guerra de egos é declarada", publicou o "Le Parisien". "A vitória por 2 a 0 contra o Lyon não foi suficiente para esconder a tensão entre os dois atacantes que disputavam a bola antes de cobrar uma falta e depois de um pênalti", escreveu a publicação.

O "Huffingtonpost" da França foi na mesma linha e disse que o "mais difícil dentro de um grupo de estrelas é gerenciar o ego".

"O gerenciamento de egos pode ser determinante para a temporada do PSG"?, questiona a revista "France Football" em uma enquete, propondo debate após o episódio entre uruguaio e brasileiro no último domingo.

O "Europe 1" diz que o "desconforto de Cavani é visível" e ainda publica que o uruguaio novamente não será o grande "mestre" do PSG depois de ficar "à sombra de Ibrahimovic e agora terá de "competir com Neymar e Mbappé". A publicação ainda cita o grande entrosamento dentro e fora de campo entre os dois contratados recentemente, bem diferente do que acontece com o uruguaio.

"Não é só no vestiário e nas redes sociais. O entrosamento entre os dois é visível no gramado e evidenciado pelas 21 bolas trocadas entre Neymar e Mbappé enquanto Neymar passou apenas 2 vezes para o uruguaio e Mbappé, quatro", escreveu.

URUGUAIOS

O jornal uruguaio "El Pais" defendeu Edinson Cavani e criticou duramente Daniel Alves pela discussão dos dois com Neymar na vitória do PSG contra o Lyon, 2 a 0. A publicação entende que Alves e Neymar se uniram para assumir o posto de liderança conquistado em campo por Cavani.

"Não precisa se aprofundar muito para comprovar que Neymar quer ser o responsável pelas execuções dos tiros livres e das penalidades. E também é fácil notar que Edinson Cavani não está disposto a entregar aquilo que conquistou por direito próprio no clube francês", escreveu o "El Pais".

"Os vídeos comprovam a postura de Alves escondendo a bola de Cavani para dar a Neymar".

O "El Pais" considerou mentirosa a declaração dada por Daniel Alves. Ao SporTV, o lateral brasileiro disse que queria cobrar a falta e por isso impediu Cavani de pegar a bola. Alves completou dizendo que teve a bola roubada da mão por Neymar.
"Alves quis disfarçar a realidade [para a imprensa]. Impossível crer nisso", publicou o jornal uruguaio.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA