Botafogo x Grêmio no Engenhão
libertadores 14

Botafogo e Grêmio correram, tentaram, mas ficaram no 0 a 0 no primeiro jogo das quartas de final da Libertadores. Nesta quarta-feira (13) os dois times fizeram uma partida de tempos distintos, com muito volume e poucas chances claras de gol.

A decisão, portanto, está em aberto para o duelo para a próxima semana, em Porto Alegre. Na quarta-feira (20), na Arena do Grêmio, quem vencer avança de fase.

O Botafogo ainda poderá jogar por qualquer empate com gols -por conta do saldo qualificado. Caso o placar zerado se repita, a vaga será decidida nos pênaltis.
Intenso, o Botafogo começou o jogo em pequena vantagem e depois sofreu com as variações do Grêmio. Fechou a etapa inicial amarrado, sem conseguir criar, e vendo individualidades apagadas por conta do volume rival.

Depois do intervalo o time carioca foi para cima e criou pressão. Gerou chances mais contundentes de gol -uma delas após erro crasso de Cortez e chute bloqueado de Roger.

No saldo geral, a atuação do Botafogo não foi de encher os olhos, como em outros jogos como mandante na Libertadores. João Paulo, Pimpão e Roger conectaram poucas jogadas. Matheus Fernandes e Gilson tiveram boa participação.

Já o Grêmio, sem Geromel e Luan vetados pelos médicos, surpreendeu. Mesmo com várias baixas, a equipe tricolor fez uma partida com aspectos positivos. Edilson e Arthur foram os melhores, mas Léo Moura e Barrios ficaram abaixo.

O time gaúcho controlou o meio-campo após início disputado no campo da imposição física. De acordo com estatística da Conmebol, o tricolor acumulou 221 passes até o intervalo com 93% de acerto. As chances de gol foram poucas. Fernandinho (duas vezes) e Arthur foram os que chegaram mais perto do gol de Gatito.

Na defesa, o time tricolor foi seguro e conseguiu controlar Roger e dosar esforços ao cercar Rodrigo Pimpão no primeiro tempo. Na etapa final ficou mais acuado, pela pressão adversária, e começou a sofrer com infiltrações. No ataque a produção caiu e as investidas foram raras.

Cada lado do jogo teve a chance de reclamar, e muito, de penalidade máxima não marcada. No primeiro tempo, foi a vez do Grêmio, que viu toque de mão de Carli após bola da esquerda. Na etapa final, o Botafogo contestou a inércia da arbitragem diante de uma dividida entre Gilson e Edilson.

TITE
Os jogadores de ambas equipes tiveram uma motivação a mais no duelo. O treinador da seleção brasileira e seu braço-direito estavam em um dos camarotes do estádio Nilton Santos. Tite e Cleber Xavier seguiram a rotina de acompanhar jogos in loco para avaliar alvos. A próxima convocação será na sexta-feira (15).

BOTAFOGO:

Gatito; Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, Bruno Silva, Leo Valencia (Marcos Vinicius) e João Paulo (Rodrigo Lindoso); Rodrigo Pimpão e Roger. Técnico: Jair Ventura

GRÊMIO:

Marcelo Grohe; Edilson, Bressan, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson, Arthur, Ramiro, Léo Moura (Rafael Thyere) e Fernandinho; Lucas Barrios (Everton). Técnico: Renato Gaúcho

Estádio: Engenhão, no Rio

Juiz: José Argote (VEN)

Cartões amarelos: Rodrigo Pimpão (BOT)

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA