ovoJoão Luiz da Silva Meireles Mourão faz sua estreia no mundo literário no próximo dia 09 de outubro. O lançamento de O Primeiro Ovo, com ilustrações de Francisco Veiga, ocorrerá no Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, às 20 horas, e contará com a presença da já veterana escritora Dinorá Couto Cançado, que ministrará palestra sobre “Leitura, Cidadania e Transformação Social”. O livro, e todo o projeto que o envolve, tem o apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás.

Até aqui a notícia é comum, não fosse o fato de o escritor debutante ter apenas 8 anos de idade. Isso mesmo. João Luiz é apenas um garoto e, embora esteja lançando seu livro somente agora, em idade já avançada, escreveu O Primeiro Ovo aos 6 anos de idade.

Além de Goiânia, o livro será lançado também nas cidades de Goiás e Corumbá de Goiás, escolhidas por serem berço de importantes escritores da literatura goiana como Hugo de Carvalho Ramos e Cora Coralina, que embora não tenha nascido em Goiás, adotou a cidade como sua e é reconhecida pelo trabalho intimamente ligado à cultura goiana, e Bernardo Élis e José J. Veiga.

Nestas cidades João Luiz promoverá não só o lançamento de O Primeiro Ovo, com palestras e um contato direto com as outras crianças de sua mesma faixa etária, entre 5 e 8 anos, sobre o processo de criação do seu livro, mas também movimentará escolas municipais com oficinas de criação de brinquedos artesanais e brincadeiras antigas, que serão ministradas por Wender Francisco de Assis.

Mãe antenada

O projeto é coordenado pela mãe de João, Graziene Moreira, gestora cultural e mãe de outros dois meninos, (Benjamim, 10 e Pedro Jeremias, 7), todos incentivados a ler, jogar bola e ter um contato próximo com a natureza desde bem cedo. Ela conta que o livro surgiu da maneira mais espontânea possível, pegando até ela mesma de surpresa.

Foi assim... Certo dia, João chegou da escola determinado: "Mãe, quero escrever um livro". Graziene achou bacana, incentivou, mas não levou a sério a instantaneidade do pedido. Até que João retrucou: “não, mãe! É hoje! Cadê os papéis?". Sem ressalvas, Graziene entregou os papéis e lápis coloridos. Até o fim do dia, a primeira e a quarta capas já estavam prontas. O livro foi finalizado no dia seguinte.

Ela ressalta que o estímulo à leitura dentro de casa começou bem cedo e foi algo tão natural que se tornou um hábito. “Minha mãe teve um papel muito importante nisso tudo. Ela chegava em casa com caixas de livros infantis e eles adoravam. Aqueles livros sensoriais, sabe?! Interativos... Sem contar que ela é uma contadora de histórias de mão cheia. Seus contos eram cheios de efeitos especiais. Eles adoravam”, diz.

Também a escola dos garotos foi grande influenciadora por meio de um projeto de “ciranda do livro”, em que cada criança deveria levar um livro para a sala de aula e, ao final da leitura, repassar ao colega. Assim, levava quase que todo o ano letivo para que tivesse seu livro de volta. “João lia, apenas na escola, uma média de 20 livros por ano. Isso foi muito relevante”, pontua Graziene.

Incentivo à leitura

Uma vez o livro pronto, escrito e ilustrado pelo próprio João em algumas folhas pautadas, Graziene não teve dúvidas em tornar o sonho do filho real. E não só isso, produtora cultural parceira de diversas iniciativas e prática em escolas da rede pública da capital, como aulas de música, arte e educação e yoga, ela logo pensou que o exemplo de João deveria ser passado adiante para, assim, influenciar outros jovens escritores Goiás afora. Foi daí que surgiu o convite a Dinorá, Francisco e Wender.

Para a mãe, seu objetivo principal com o projeto como um todo é contribuir, ainda que minimamente, para despertar nestas crianças que vão participar das oficinas e receber o livro gratuitamente, um desejo pela leitura. “Não é que queremos que elas se tornem escritoras e sigam esse exemplo. A escrita é uma conseqüência. Mas sabemos que o desenvolvimento do conhecimento científico, tecnológico e humano, em todas as áreas, só é possível se começar pela leitura. É ela que traz o conhecimento, é a fonte.”

Todas as escolas que receberem o projeto receberão também exemplares do livro para suas bibliotecas. As oficinas são gratuitas.

Palestra destinada a pais e professores

Por isso, Graziene fez questão da presença de Dinorá Cançado no lançamento do projeto, com a palestra “Leitura, Cidadania e Transformação Social”, destinada não só a professores, pais e mães de crianças e demais profissionais que circundam o universo da educação infantil, mas também a todos os interessados por arte e educação.

Na palestra, Dinorá irá comentar estudo sobre pesquisa a respeito de projetos de fomento à leitura desenvolvidos em escolas, bibliotecas e os de iniciativas da sociedade civil, levados adiante por atores sociais, na maioria das vezes informais, no Distrito Federal (DF).

“A máxima a ser considerada ao enfocar esse tema é a de que o indivíduo que lê e que desenvolve sua criticidade é um cidadão participativo, está à frente de outros, torna-se mais bem informado e mais sábio no que se refere a seus direitos e deveres. Portanto, é aquele que caminha em busca da cidadania plena”, defende Dinorá.

Lançamento de O Primeiro Ovo – de João Luiz da Silva Meireles Mourão

Goiânia – 09/10 (segunda-feira)
Encontro com João Luiz e Dinorá Couto Cançado
Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro
Horário: 20 horas
Entrada gratuita

Corumbá de Goiás – 17/10 (terça-feira)
Encontro com João Luiz (e Dinorá?)
Local palestra: Cine Teatro 
Horário: 19:30
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escolas Municipais Bernardo Élis, Benedito de Fontes Leal, Benigno Gomes Teles, Feliciana de Sousa Leite – turno matutino e vespertino

Cidade de Goiás – 18/10 (quarta-feira)
Encontro com João Luiz (e Dinorá?)
Local palestra: Espaço Conviver
Horário: 19:30
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escola Municipal Sonho Infantil – turno vespertino

Goiânia – 20/10 (sexta-feira)
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escola Municipal Ary Ribeiro Valadão Filho – turno vespertino

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA