Reprodução Multishow
alicia keys e indigena rock in rio

Alicia Keys, estrela da noite deste domingo (17) no Rock in Rio, comandava uma festa alto-astral no palco Mundo quando convidou artistas brasileiros para a acompanharem em sua próxima canção.

Além do arranjador Pretinho da Serra, a cantora deu espaço para que a líder indígena Sônia Guajajara fizesse um apelo em prol de apoio popular para barrar decreto que extingue reserva na região amazônica.

"Não existe plano B, essa é a mãe de todas as lutas, é a luta pela mãe Terra", disse Guajajara. "Demarcação, já!", pediu, gerando eco de "fora, Temer" na multidão que a assistia.

A cantora, então, prosseguiu com "Kill Your Mama", que fala sobre a depredação da natureza e figura em no mais recente álbum de Alicia, "Here".

Antes do protesto, Alicia entrou no palco Mundo vestida com um macacão preto brilhante, brinco losangular do tamanho de um palmo e cabelo trançado rosa e laranja.

Seu melhor acessório, porém, era um sorriso que não saiu de seu rosto. Nem mesmo quando cantou faixas como "Pawn it All", sobre recomeçar a vida, e "Superwoman", sobre as dificuldades de ser uma mulher.

Carismática, interagiu com o público a todo tempo, inclusive em português, com uma saudação "e aí, Rio", até mesmo pedindo para que o público cantasse, "quero ouvir vocês".

Alicia resgatou canções de diferentes períodos da carreira, dançando ou ao piano, como "Fallin'", de 2001, e "28 Thousand Days", de 2015. Em um dos momentos dignos de menção, a backing vocal Whitney se esgoelou ao cantar "How Come You Don't Call Me" e foi ovacionada.

Nada que a própria Alicia não tenha feito do começo ao fim: seu domínio de voz é tanto que parece fácil cantar como ela.

A sequência final com "Girl On Fire", que foi tema de novela no Brasil, "No One" e "Empire State of Mind", parceria com Jay-Z, foi apoteótico. "[O Rio] é mágico, não é assim em nenhum outro lugar", elogiou Alicia.

Leia Mais:

 

 

 

 

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA