marcosbbb foto egoSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-BBB Marcos Harter foi indiciado após investigação de agressões contra sua companheira de confinamento Emilly Araújo durante o reality show. O médico foi indiciado por lesão corporal com base na Lei Maria da Penha.

Márcia Noeli, chefe da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM), confirmou que as investigações do inquérito policial foram concluídas pela delegada Viviane Costa Pinto, titular da DEAM de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, e que agora o caso segue para o Ministério Público.

Mais cedo o advogado Roberto Flávio Cavalcanti tentou suspender as investigações sobre as agressões de Marcos.

O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Cível de Jacarepaguá, determinou que a delegada preste esclarecimentos sobre o caso em 72 horas para decidir se concederá ou não a liminar.

O advogado contou que tomou a decisão porque entende que a Lei Maria da Penha deve ser aplicada em caso de violência doméstica, o que não aconteceu, já que tudo ocorreu dentro de um reality show.

A assessoria de Marcos Harter esclareceu que não foi Marcos nem o advogado dele que entraram com o pedido de habeas corpus e enviou uma declaração dele sobre o assunto. "Tomei conhecimento hoje, através da imprensa, de que foi impetrado em meu nome um habeas corpus. Nego veementemente qualquer medida nesse sentido. Isso não foi efetuado por mim, nem pelos advogados que me representam. Já estamos tomando as medidas cabíveis."


Na segunda-feira, Emilly esteve na delegacia para depor sobre as agressões que teria sofrido por parte de Marcos Harter -e que levaram o médico a ser expulso doprograma.

Marcos Harter prestou depoimento na quarta-feira, véspera da final do "BBB17". Na ocasião, a delegada Viviane Pinto, titular da delegacia, falou sobre o inquérito que apura o suposto crime de lesão corporal cometido pelo médico contra Emilly.

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA