Seis mandados de prisão contra empresários na Operação Curto Circuito

Escrito por Altair Tavares - Publicado em .

MPEA Operação Curto Circuito busca a execução, hoje, de seis mandados de prisão contra empresários que vendiam material elétrico e executavam prestação de serviços de iluminação pública com prefeituras.

Os nomes dos acusados e as prefeituras ainda não foram divulgadas pelo Ministério Público.

O MPE divulgará detalhes sobre a ação em entrevista coletiva, às 11 horas de hoje, 25.

Alguns detahes já são conhecidos, conforme divulgação do MPE.

VEJA A DIVULGAÇÃO OFICIAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO:

O Ministério Público de Goiás deflagrou nesta quinta-feira (25), com o apoio da Polícia Militar e da Secretaria de Estado da Fazenda, a Operação Curto Circuito, para cumprir seis mandados de prisão expedidos pela 8ª Vara Criminal de Goiânia contra empresários responsáveis por empreender fraudes em licitações e contratações diretas com entes públicas relacionadas à aquisição de materiais elétricos e prestação de serviços de iluminação pública. Além dos mandados de prisão provisória, o Poder Judiciário autorizou a realização de busca e apreensão de documentos e objetos em 15 endereços diferentes, todos ligados aos presos.

As investigações foram realizadas pelo MP-GO desde 2011 e constataram que algumas empresas do ramo de material elétrico e iluminação, pertencentes ao mesmo grupo e tendo, inclusive, funcionários em comum, participaram e fraudaram licitações realizadas em dezenas de municípios goianos, concorrendo entre si. Estas empresas devem cerca de R$ 20 milhões ao Estado, e as contratações irregulares com prefeituras alcançam a importância de mais de R$ 19 milhões de reais. As investigações dão conta, ainda, da existência de negócios ilegais com várias prefeituras de outros Estados.

Pelo MP-GO, coordenam a Operação Curto Circuito o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Centro de Segurança Institucional e Inteligência (CSI). A execução da operação conta com a participação de 14 Promotores de Justiça, 48 Policiais Militares da Companhia de Operação Especiais – COE, do Batalhão de Choque e do Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva – GIRO, além de equipes da Secretaria da Fazenda.

Adicionar comentário

Comentários com calúnias, discriminação de qualquer natureza, ou qualquer agressão ao Código Civil e Penal serão deletados ou editados. Use com inteligência e bom senso.


Código de segurança
Atualizar