marconi perillo entrevista para radios das regioes sul e sudeste de goias foto wagnas cabral 05

Ao acionar a Justiça estadual, o Ministério Público, o Procon e divulgar a planilha de preços praticados por postos de gasolina no Estado, “o governo estadual provou que está do lado do consumidor”, disse hoje o governador Marconi Perillo, na segunda rodada de entrevistas a emissoras de rádio, desta vez para veículos do Sul e Sudeste do Estado, hoje de manhã, no Palácio das Esmeraldas. A ação do Governo do Estado provocou decisão da Justiça de que estava havendo abuso na cobrança do preço do etanol em Goiás.

Marconi lamentou que infelizmente algumas “pessoas inescrupulosas” usam redes sociais para mentir, transformar um fato desse como se fosse da responsabilidade do governo. “Os incentivos fiscais do etanol em Goiás são os maiores do Brasil. Mesmo com esse suposto aumento que haveria, e não haverá, ainda sim o etanol de Goiás é o mais barato. O etanol vai continuar tendo a menor alíquota do país”, disse Marconi.

Para o governador, quem informou que o governo de Goiás teria algum tipo de responsabilidade no episódio do aumento do preço dos combustíveis “caiu do cavalo”. “Acho que eles não imaginaram que eu fosse solicitar ao Procon providências duríssimas, não imaginaram que nós fôssemos ao Tribunal de Justiça pedir a revogação dos aumentos e não imaginavam que nós fôssemos divulgar no site da Secretaria da Fazenda toda composição de custo da gasolina aqui no Estado”, frisou.

Confira a íntegra da entrevista às emissoras de rádio do Sul e Sudoeste do Estado:

Marconi Perillo – Infelizmente, algumas pessoas inescrupulosas usam redes sociais para mentir, transformar um fato desse como se fosse da responsabilidade da gente. Os incentivos fiscais do etanol é o maior do Brasil. Mesmo com esse suposto aumento que haveria, e não haverá, ainda sim o etanol de Goiás é o mais barato. Nós damos crédito outorgado. Além do produzir, nós damos outros incentivos importante para o etanol. O etanol vai continuar tendo a menor alíquota do Brasil. Isso foi pra fomentar a vinda das usinas de Álcool e de açúcar para Goiás. Goiás era o oitavo produtor de álcool do Brasil e hoje é o segundo, é o segundo produtor de cana-de açúcar, segundo de álcool anidro, de álcool hidratado e o quarto produtor de açúcar. Se não fosse a nossa política firme de incentivos fiscais, nós não teríamos transformado Goiás no segundo maior polo produtor sucroenergético do país. Então, o que disseram é mentira. Em relação à gasolina, é claro que nós sempre tivemos aqui uma política mais agressiva pro etanol, afinal de contas, nós produzimos etanol. É impossível não distinguir a alíquota de etanol da de gasolina, até porque nós queremos estimular o combustível não emissor de gases, um combustível limpo de energia renovável. Essa foi sempre a nossa política. Mas com relação aos combustíveis, o governo de Goiás provou que estava do lado do consumidor. Primeiro, ao abrir toda a planilha de custos, de formação de preços e de custos da gasolina. Segundo, ao divulgar, a partir de agora, diariamente, os valores mínimos, médios e máximos que são cobrados em todos os postos de gasolina. Essa foi a decisão que nós tomamos, para que não pairem dúvidas. Infelizmente, na política e na vida existem pessoas que aproveitam da oportunidade para tentar aparecer e desmoralizar terceiros. Quem informou que o governo de Goiás teria algum tipo de responsabilidade naquele episódio caiu do cavalo. Acho que eles não imaginaram que eu fosse solicitar ao Procon providências duríssimas, não imaginaram que nós fôssemos ao Tribunal de Justiça pedir a revogação dos aumentos e não imaginavam que nós fôssemos divulgar no site da Secretaria da Fazenda toda composição de custo da gasolina aqui no Estado. E mais: o último aumento de imposto aconteceu em janeiro do ano passado. Portanto, não tem nada a ver com o que aconteceu.

 

“A prioridade é terminar tudo o que foi começado”

Marconi Perillo - Em relação ao AME de Ipameri, nós já demos a autorização ao secretário da Saúde para e que ele priorize as obras. Nós estamos terminando as que tinham começado – cinco ou seis – e os Credeqs. Mas vou voltar a cobrar do secretário Leonardo Vilela o início das obras. Quanto ao anel viário, eu também pedi ao presidente da Agetop que também buscasse viabilizar os recursos. A prioridade nossa nesse primeiro momento foi a reconstrução do trecho entre Ipameri e Caldas Novas, que está em andamento, e de Ipameri a Catalão. No passado a outra prioridade era construir e terminar a rodovia entre Ipameri e Campo Alegre, já fizemos, já inauguramos, e hoje a gente tem várias prioridades em parceria com a prefeita Daniela, que aliás é uma prefeita excelente, que me dá condições de ajudar Ipameri pelas muitas parcerias que firmamos.

“O objetivo é atender famílias vulneráveis”

Marconi Perillo - O objetivo nosso é atender a todas as famílias vulneráveis com o programa Renda Cidadã, portanto estamos ampliando. Segundo, atendemos as pessoas deficientes com o Cheque Moradia Reforma e também atender a todas entidades que trabalham com caridade, que trabalham com projetos sociais. Exemplo: Sociedade Vicentina, Pestalozzi, Apae, grupos católicos, espíritas, evangélicos, que trabalham na área social, através de instituições que realizam de ajuda aos mais pobres, aos mais necessitados, principalmente aos idosos e aos deficientes.

“A energia solar vai revolucionar Goiás”

Marconi Perillo - Nós começamos aqui em Goiás o primeiro projeto de energia fotovoltaica, de energia solar do Brasil. Foi na cidade de Pirenópolis, no Conjunto Luciano Peixoto. Agora nós já estamos entendendo a outros conjuntos. Inclusive o governo está doando o Cheque Moradia Reforma, no valor de R$ 3 mil, para quem quer implantar esse projeto. É um projeto revolucionário, que vai baratear muito o custo da energia, até porque a família vai gerar energia na sua própria casa. O estado de Goiás é um estado que tem uma insolação muito boa e acho que essa é uma revolução que a gente começa a fazer em Goiás daqui para frente. Ou seja, nós vamos ter muitas unidades geradoras de energia, com isso nós vamos diminuir a dependência de energia hidráulica ou termoelétrica e ainda vamos baratear os custos para as famílias, para que elas possam usar esse dinheiro que é pago com energia cara, hoje, em outras coisas.

“Estamos viabilizando distritos industriais em várias cidades goianas”

Marconi Perillo - Eu tenho cobrado do presidente da Codego uma solução para este acordo em Catalão. Nós temos hoje um programa de crédito outorgado que está viabilizando distritos em vários lugares – em Aparecida de Goiânia, em Anápolis, em outras cidades de Goiás – e eu coloquei esse programa à disposição para, juntos, viabilizarmos a construção desse distrito novo em Catalão. O fato é que se a gente for construir pelo governo do Estado e pela prefeitura é muito caro. Com o crédito outorgado, os próprios empresários fazem e depois o governo ressarce deixando de receber parte do ICMS da empresa que se instalou no distrito. É uma engenharia muito inteligente, nós já aprovamos esse programa e ele está à disposição da prefeitura de Catalão e das outras prefeituras. Um outro projeto que eu discuti com o prefeito foi relativamente a um anel viário entre a GO-020 e a BR-050. Eu estou aguardando o Julinho (Júlio Vaz), presidente da Codego, trazer o projeto para que a gente possa encaminhar o convênio.

 

“Vamos terminar todos os Credeqs que estão em construção”

Marconi Perillo - O Credeq de Itumbiara ainda não tem previsão. Há uma emenda do deputado Álvaro Guimarães, inclusive eu me coloquei à disposição para ajudá-lo, mas tomamos uma decisão inicial que foi primeiro terminar os que já estão em construção. Na região Sul, já têm dois em construção: em Morrinhos e Caldas Novas. A decisão nossa foi de não começar algo, tendo outros para serem terminados. Mas ele é uma prioridade e há uma emenda do deputado Álvaro Guimarães que foi aprovada na Assembleia.

 

“O curso de Medicina consolida Itumbiara como um grande polo de ensino superior em Goiás”

Marconi Perillo - Nós já aprovamos e o Conselho Universitário da UFG aprovou também e, Itumbiara, o que é mais importante, já existe um cronograma, eu não me lembro se é para o início ou para o meio do ano que vem, mas já está aprovado. Isso é uma realidade, uma grande conquista do prefeito Zé Antônio, dos vereadores, dos deputados, de toda a comunidade de Itumbiara. Eu me empenhei muito e priorizei esse projeto. Ele consolida Itumbiara como um grande polo de ensino superior em todo o Estado de Goiás. Mas tem outras coisas que nós estamos fazendo em Itumbiara, que são importantes. Nós estamos construindo, em alta velocidade, a rodovia que liga Itumbiara a Cachoeira Dourada, estamos com convênio com a prefeitura para asfaltamento em andamento e já conseguimos os recursos para revitalizarmos e reconstruirmos a Avenida Modesto de Carvalho.

 

 

“Goiatuba terá importantes obras do Goiás na Frente”

Marconi Perillo - Goiatuba eu acertei com o prefeito um convênio do Goiás na Frente. Eu estou certo de que nós vamos ter obras muito importantes nessa parceria com a Prefeitura. Nos casos dos acessos a Edeia, a Vicentinópolis, nós também priorizamos a reconstrução dessas rodovias, que deverão ser reconstruídas em 2018.

Marconi diz que não é candidato a presidente da República e, sim, a presidir o PSDB

Marconi Perillo - Eu não sou candidato à presidência da República. Eu me coloquei à disposição do partido pra presidi-lo com o objetivo de ajudá-lo na busca da sua unidade. Nós temos outros candidatos à presidência da República que já estão mais posicionados, que já estão no páreo há mais tempo. E, se eu for presidente do PSDB, eu trabalharei para que o PSDB discuta com a sociedade organizada um bom plano par ao País, um plano econômico, um plano social, principalmente um plano social – volta da geração dos empregos e também a defesa de algumas teses que serão muito importantes para o período eleitoral do ano que vem. Essa é a minha disposição. Usar a minha experiência, o fato de termos aqui governos bem sucedidos, de termos hoje uma experiência muito grande na articulação com as instituições, com os Poderes, respeito a todos atores que estão na política ou que estão em outras áreas. Enfim, usar toda essa experiência em auxílio ao meu partido, principalmente, repito, na reunificação do partido.

 

“Seguramente vai ser muito importante para Goiás ocupar esse espaço”, diz Marconi, sobre Baldy no Ministério das Cidades

Marconi Perillo - Não, essa é uma articulação que foi feita por ele, pelo presidente da Câmara, pelo presidente do PP, mas há dois dias, quando soube em primeira mão dessa notícia, liguei para o deputado Baldy me colocando à disposição dele para o que ele precisasse. Foi meu secretário de Indústria, foi um ótimo secretário e seguramente vai ser muito importante para Goiás ocupar esse espaço. O governo de Goiás vai ganhar muito com isso, as prefeituras vão ganhar, o Brasil vai ganhar com um ministro jovem, atuante, dinâmico e competente.

O Ginásio de Catalão, que nós reformamos, será um dos mais modernos do Brasil”

Marconi Perillo – Quando o prefeito de Catalão era Jardel Sebba, eu me comprometi com ele e com o deputado Gustavo Sebba de que eu iria reconstruir o Ginásio Internacional de Catalão. Muitos duvidaram, outros disseram que era mentira. Pois bem, o ginásio está praticamente pronto, nós estamos refazendo aquele ginásio que é um dos mais modernos do Brasil. O Jovem Cidadão nós estamos encaminhando dentro do projeto Goiás na Frente Terceiro Setor Social.

Nos últimos 20 anos, Goiás multiplicou por mais de 10 vezes o seu PIB

Marconi Perillo – Goiás soube dar a volta por cima. O governo fez a sua parte, nós fizemos a nossa parte, trabalhadores e empresários também fizeram a parte deles. E se não fossem os incentivos ficais que eu dou há 20 anos, nós teríamos uma crise muito maior. É claro que o agronegócio é importante. Nós temos uma indústria diversificada em todos os cantos do Estado. Temos serviços que são fundamentais para o crescimento do PIB. O fato, e aí muitas pessoas não gostariam de ouvir isso, é que quando eu assumi o governo, em 1999, o PIB de Goiás era de R$ 17 bilhões. A previsão para o final de 2018 é que será mais de R$ 180 bilhões. O nosso PIB se multiplicou por mais de dez vezes. Isso se deu, graças às políticas certas, corretas do Governo do Estado. Mas é importante destacar uma coisa, nos primeiros nove meses deste ano, enquanto o Brasil teve um saldo positivo de empregos de 208 mil, somente aqui em Goiás nós tivemos um saldo de 47 mil empregos. Ou seja, Goiás gerou quase 25% dos empregos do Brasil. Goiás está fazendo o seu dever de casa. E mais que isso, nós temos obras em todos cantos, parcerias em todos os cantos, folha de pagamento em diz, 13º em dia. Acho que isso é que dá uma certa dor de cotovelo nos adversários. Todo mundo torcia contra e eu provei em quatro mandatos que é possível fazer bem feito, que é possível ter bons governos, ter planejamento e cuidar das nossa obrigações em dia.

Passar os hospitais regionais para os municípios foi um erro, diz Marconi

Marconi Perillo – Essa é uma burocracia que demora. Eu autorizei a estadualização do Hospital de Jaraguá há mais de dois anos. Agora é que o processo burocrático terminou, as OSs foram chamadas e o hospital começará a ser administrado pelo Estado e por OS. Tem uma demora. O prefeito e os deputados estão atentos. Eu já encaminhei esse pleito com a minha autorização ao Secretário da Saúde e agora acho importante que as tratativas da prefeitura com a Secretaria da Saúde aconteçam para que a gente possa cumprir esse compromisso de ajuda à Prefeitura. O que aconteceu de errado é que não década de 80 o governador Santillo construiu dez grandes hospitais regionais, que era pra dar um atendimento regional no Estado inteiro. Depois, veio o governo Maguito Vilela que transferiu para as prefeituras esses hospitais e os prefeitos aceitaram. Como aconteceu? Como uma prefeitura de Goiatuba vai dar conta de atender as pessoas de Goiatuba e de mais 20 cidades da região? É impossível. Esses hospitais acabaram virando pronto-socorros municipais, hospitais municipais, sem condições de atender regionalmente as demandas do povo. Na época, eu critiquei. Depois, até tentei, em anos passados, fazer a estadualização. Na época, nenhum prefeito se interessou. Agora é que a crise realmente se agudizou e todo mundo quer devolver pro Estado. Eu estou fazendo o que posso para poder atender um e outro. Já existe o pedido do prefeito de Goiatuba, que veio, me pediu, que tem toda boa vontade. Existe o pedido de Porangatu e existe o pedido de Jaraguá, que já foi atendido. Mas é algo que o prefeito precisa insistir. Da minha parte, há toda a boa vontade no sentido de reestadualizar esses hospitais. Repito: Lá atrás, quem passou o hospital pro município de Goiatuba errou. E o prefeito que recebeu errou mais ainda, porque pegou um abacaxi. Eu sei o que que custa saúde por mês. A manutenção da saúde em nossos hospitais por mês em Goiás, muito bem administrados, custa R$ 90 milhões por mês. É muito caro e é injusto que um hospital municipal como o de Goiatuba tenha que atender à região inteira. Quem tem que atender a região são os hospitais estaduais. Portanto, é uma demanda justa que tem toda a minha sensibilidade.

“Estou concentrado na conclusão do mandato. Até abril, eu ficarei no governo. Depois, entra o Zé Eliton”

Marconi Perillo – Ainda não há decisão. Estou concentrado na conclusão do mandato. Estou concentrado na conclusão das obras que estão sendo feitas, nos programas sociais, nos programas de ajustes e no cumprimento das obrigações do governo. Essa tem sido a minha prioridade. Goiás se transformou novamente num grande canteiro de obras, depois de toda a política de austeridade que eu defini nos dois anos anteriores. Neste ano e no ano que vem, nós vamos continuar com as parcerias, com os convênios e com as obras. Até abril, eu ficarei no governo. Depois, entra o Zé Eliton, o vice-governador vai assumir e vai continuar todas essa política de desenvolvimento do nosso Estado. Goiás é um estado que está muito na frente dos outros estados, porque aqui a gente tem governo que realmente trabalha, que realmente prioriza as pessoas.

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA