irisO prefeito Iris Rezende concedeu entrevistas hoje pela manhã, 19, durante o último dia do Mutirão realizado na comunidade e bairros próximos do Conjunto Vera Cruz II. Antes, visitou todos os estandes e agradeceu o carinho das pessoas e o comprometimento dos servidores para o sucesso da frente de serviços. “ Vocês estão de parabéns, estar aqui, ao lado do povo, se dedicando para resolver os problemas das pessoas e da nossa cidade”, destaca.

Questionado se esta 11ª edição seria a última de 2017, Iris disse que é preciso atender a outras regiões que ainda faltam. “ Temos ainda previstas mais duas edições. Estas possivelmente com uma estrutura menor de atendimentos devido ao período chuvoso, mas concentradas em atender a população nas demandas mais urgentes e em serviços como limpeza, recuperação asfáltica e obras importantes”, comentou.

Grandes marcas
O Mutirão concentra todos os órgãos municipais e parceiros num centro de convivência e atividades montado para atender pessoas de várias regiões. Nesta edição, localizada no Oeste da cidade e a estrutura montada na praça da feira, na Avenida Gercina Borges Teixeira, o número de atendimentos já supera a marca de 550 mil, de diversas áreas, como saúde, educação, emissão de documentos, meio ambiente, assistência social, orientações jurídicas e atividades recreativas e culturais.

A área mais procurada do Mutirão é a Saúde. Os moradores podem fazer vários exames e procedimentos, que se tornam um pequeno check-up ajuda a prevenir doenças. É o caso da Maria Aparecida Silva, 50 anos, do Residencial Eldorado Oeste, que aferiu a pressão num dos estandes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que indicou uma hipertensão. Foi orientada por profissionais a procurar o médico para um diagnóstico melhor sobre o problema. “Não estava sentindo nada, mas sei que pode ser algo silencioso, que pode me prejudicar. Então marcarei uma consulta, para ver se há algo errado”, explica. Além de aferir pressão, os moradores tiveram outras opções, como testes de glicemia, avaliação nutricional e vacinações.

No Mutirão, há espaço também para novos talentos, que se apresentam, por exemplo, na rádio Mutirão. A família Fernandes sabe bem disso, são apoiadores da Layla, de 13 anos. O pai, Joaquim, e o outro filho, Dionathan, moram com ela no Setor Morada do Sol e a acompanham sempre nas apresentações, que foram vistas em quase todos os Mutirões deste ano. “Agradecemos muito a oportunidade de mostrar o trabalho da minha filha, que aqui pode ser vista por toda a população. Isso pode ajudá-la na carreira”, acredita.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA