logomarcadiariodegoias2017

Cabeleireira estava desaparecida desde 26 de dezembro de 2018. (Foto: Reprodução/Facebook)
lorraine fernandes cabelereira foto facebook

Lorraine Fernandes, de 32 anos, moradora de Inhumas, foi mais uma vítima de feminicídio em Goiás. O corpo da cabeleireira foi encontrado nesta terça-feira (17) pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO), em um canavial, amarrada e com três tiros na cabeça. De acordo com o responsável pelo caso, delegado Humberto Teófilo, o ex-marido foi o mandante do crime e um ex-detento executou o crime.

“As provas apuradas até o momento demonstram que duas pessoas foram responsáveis pela execução da vítima Lorraine, dentre eles o executor, Dioy [Belarmino dos Reis], já conhecido pela polícia por ter passagens também por homicídio. Também chegamos à conclusão de que o mandante do crime foi o ex-marido Rogério [Trindade do Couto, de 38 anos]”, afirmou o delegado.

Humberto Teófilo explicou que desde novembro Rogério e Lorraine estavam separados. Rogério já foi indiciado por lesão corporal e violência doméstica, inclusive sendo Lorraine a vítima. A mulher teria até transferido R$ 15 mil para a conta bancária de Rogério para incentivá-lo a sair de casa. Após a separação, Lorraine iniciou um relacionamento com um empresário da cidade.

“Rogério, ex-marido, não aceitou o término do relacionamento. Logo em seguida ao término, Lorraine casou com um empresário da cidade e Rogério chegou a enviar um áudio para um colega de Brasília pedindo para ele arrumar dois menores, que ele tinha que fazer um serviço na cidade de Inhumas. O rapaz falou para ele: “Não faça isso, você vai estragar a sua vida”. Rogério disse: “Não, se for para fazer, vou fazer com as próprias mãos”. Então, Rogério já proferia ameaças para Lorraine e para os familiares, e planejou o crime e executou Lorraine com a ajuda do amigo Dioy, já conhecido no setor”, disse.

Premeditado

Segundo o delegado, o ex-marido contratou Dioy para cometer o crime e planejou todos os passos. Por ser conhecido de Lorraine por ter trabalhado no supermercado do atual marido da vítima, Dioy pediu uma carona para a cabelereira. Durante o trajeto, o suspeito disse à Lorraine que iria matá-la. A próxima vítima de Rogério e Dioy seria o atual marido da cabelereira.

“É importante frisar que foi o próprio Rogério que entrou em contato com Dioy avisando que Lorraine estaria na praça central e que naquela oportunidade era o momento de estar abordando Lorraine. Rogério planejou todo o crime, ofereceu R$ 5 mil a Joy para executar [...]. Ambos amarraram Lorraine, Dioy sozinho foi até um canavial próximo, já com Lorraine rendida e efetuou três disparos de arma de fogo na cabeça da vítima. Lorraine deu carona para o executor pois já o conhecia, por ter trabalhado no supermercado do atual marido”, informou o delegado.

Tanto Rogério quanto Dioy serão indiciados são feminicídio, sequestro, ocultação de cadáver e porte ilegal de arma de fogo. De acordo com Humberto Teófilo, Rogério “é frio, calculista, muito conhecido na área de telefonia, planejou todo o crime de forma tranquila e, em nenhum momento, esboçou reação. Ao contrário de Joy, que muito nervoso, confessou o crime. O que o executor demonstrou é que tinha até um certo receio de Rogério, por ser uma pessoa perigosa”, concluiu.

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH