logomarcadiariodegoias2017

Reprodução
rebeliao complexo penitenciario de ap de goiania reproducao

Detentos de regime semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia fizeram uma rebelião na tarde desta segunda-feira (1º). Segundo informações do jornal O Popular, a movimentação dos presos foi controlada por volta das 16h30. Neste momento, a diretoria do presídio realiza a contagem dos detentos.

Colchões foram queimados e, de acordo com o Corpo de Bombeiros, um pavilhão do complexo está em chamas e cerca de 15 pessoas foram encaminhadas para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

Há informações de mortes, entre 5 e 13, no entanto, a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap), não confirma o número. A Polícia Militar confirmou a morte de nove detentos. O Instituto Médico Legal (IML) está no local para a retirada dos corpos e informou que não sabe precisar quantos são, já que estão mutilados. 

Relato preliminares dão conta de que presos da ala C do presídio invadiram a ala B por uma rixa antiga. Na ocasião, 233 detentos abandonaram o local. Desses, 127 votaram para o presídio voluntariamente, 29 foram recapturados e outros 77 ainda não foram localizados. 

O Batalhão de Choque, a Cavalaria e o Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da Polícia Militar estão nas proximidades do presídio para dar apoio aos agentes penitenciários para evitar fugas.  O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também estão presentes no local para socorrer os feridos.

Tumultos 

Durante a virada do ano, detentos da unidade prisional de Rio Verde fizeram um tumulto no local. Por meio de nota, a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) informou que houve intervenção dos agentes prisionais e os responsáveis foram autuados na Delegacia de Polícia do município.

Já em Santa Helena, um agente que estava de plantão foi rendido. Presos da ala A tentaram invadir a ala B com a intenção de executar vingança motivada por rixas anteriores. Os presos da Ala B reagiram e quebraram os cadeados da celas.

Também por meio de nota, a Seap informou que os demais servidores de plantão na unidade acionaram a Polícia Militar, que deu apoio na área externa da unidade, e o Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) que efetuou a liberação do servidor feito refém.

Nove presos ficaram feridos e foram encaminhados para atendimento na enfermaria do presídio e retornaram em seguida para suas celas.

Seis presos identificados como autores do motim foram recambiados para o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia para cumprir Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).

Atualizada às 10h - 02/01/2018

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

BUSCA