logomarcadiariodegoias2017

A Polícia Civil, desvendou um esquema de pirâmide financeira em Itumbiara, nesta terça-feira (26). Um empresário, de 34 anos, e um estudante de direito, de 29 anos, são suspeitos de vender dólares abaixo do preço de mercado deixando de entregar o dinheiro às vítimas.

O empresário, João Paulo Ramos Caixeta e o advogado, Everton Mortosa Neto, ofereciam o dólar entre 30% a 35% abaixo do valor de mercado. Os suspeitos chegavam a entregar o valor a alguns dos clientes, no entanto, outros ficaram no prejuízo. Segundo a Polícia Civil, as investigações apontam que os golpe pode chegar a R$ 5 milhões, com mais de 20 vítimas citadas no inquérito. Algumas delas chegaram a vender bens, como residências, para comprar o dólar.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Vinicius Penna, o empresário está foragido e o irmão dele, o advogado, chegou a ser localizado pela polícia, no entanto, quando iria ser preso apresentou uma decisão judicial de revogação do pedido de prisão.

O caso estava sendo investigado a mais de três meses pela Delegacia Regional de Polícia Civil de Itumbiara. Segundo o delegado, o suspeito João Ramos era dono de uma agência de turismo, que foi fechada da noite para o dia para que os investigados pudessem fugir.

A empresa, de acordo com o delegado, era uma das formas usadas para captar os clientes. “Trata-se de um esquema de pirâmide financeira mesmo. Algumas vítimas preferem não se apresentar, têm receio. Outras ainda acreditam que vão ter o dinheiro que investiram de volta. No inquérito nós temos mais de 20 que não receberam o dinheiro dado para compra da moeda estrangeira. Pela projeção, o prejuízo pode chegar a R$ 5 milhões”, revelou.

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

BUSCA