logomarcadiariodegoias2017

Deputado estadual Charles Bento. (Foto: DG)
deputado charles bento foto dg

Diante da exigência que candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) façam aulas com simulador de direção veicular, o deputado estadual e representante do segmento de Centro de Formação de Condutores (CFC) Charles Bento (PRTB) informou ao Diário de Goiás que os equipamentos deverão ser centralizados para que seja possível atender a demanda.

“O aparelho não será adquirido financeiramente pelas Auto Escolas. Vão montar compartilhados. Exemplo, vai ter um centro de atendimento para atender, e diminuir gasto, despesa maior para o aluno. Hoje a nossa Carteira é uma das mais caras do país porque a taxa do Detran é muito cara. Então, uma maneira que nós encontramos, até porque um instrutor pode administrar aula em até três aparelhos, juntamos as Auto Escolas, colocamos tudo em um só lugar para atender melhor o aluno”, explicou.

O deputado também alerta sobre o valor do pacote para a obtenção da CNH será encarecido em aproximadamente R$ 350. “O simulador vai ser em torno de R$ 350 as cinco aulas. No carro, as cinco aulas ficam em torno de R$ 200. Então, vai ter um acréscimo entre R$ 150 e R$ 200 no simulador e um acréscimo na telemetria, que será em torno de mais R$ 200”, disse.

Charles Bento ressaltou que cidades grandes como Goiânia, Aparecida e Rio Verde passarão a disponibilizar as aulas com simuladores de direção veicular imediatamente. O que pode não ocorrer em CFC’s localizados em outros municípios goianos.

“Eles falam, pelo estudo, que vai precisar de 170 simuladores para todo o estado. As empresas falam que vão dar conta de entregar. Hoje no mercado temos 50, 60. Então, está faltando só 100. Nas grandes cidades, como Goiânia, Aparecida, Rio Verde, Luziânia começará a atender de imediato, já tem esses simuladores, porque era para ter entrado há um ano, já tinha adquirido”, concluiu.

Veja entrevista:

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

BUSCA