20171130085153 img 0084Goiás acumula 18 meses de queda em diversos tipos de crimes registrados pelo Observatório Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP). “Há desafios gigantescos, mas é preciso continuar com a política de investimento em tecnologia e em inteligência”, afirma o vice-governador Zé Eliton, que assumiu a pasta em 2016 com o desafio de diminuir os índices de violência. Eles começaram a declinar nas diversas modalidade a partir do mês de junho daquele ano, tendência que se acentua ao longo de 2017.

De junho de 2016 a novembro de 2017, no acumulado de 18 meses, estão em queda as seguintes modalidades criminais: homicídio (-18,17%), tentativa de homicídio (-37,35%), latrocínio (-29,80), roubo a transeunte (-6,76%), roubo de veículo (-17,01%), roubo em comércio (-23,38%), roubo em residência (-11,96%), furto de veículo (-12,16%), furto em comércio (-13,42%) e furto a transeunte (-21,17%). Neste período apenas tiveram oscilação estupro (+15,71%) e furto em residência (+4,58%).

Já em 2017, todas as 12 naturezas criminais tratadas como prioridade pelos gestores de segurança pública estão em queda em Goiás, quando se compara janeiro a novembro deste ano com o mesmo período de 2016. Ao todo, são 11 meses de declínio seguidos e deve fechar o ano com a mesma tendência. Os dados, divulgados no início de dezembro pelo Observatório da SSPAP, mostram fortes quedas nos latrocínios (-39,49%), roubos em comércios (-33,49%), roubos de veículos (-25,94%), roubos a transeuntes (-25,49%), roubos em residências (-21,18%) e tentativas de homicídios (-21,31%).

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), Ricardo Balestreri, pontua que Goiás é o único estado onde todos os índices de criminalidade caem. “A violência cresce no mundo inteiro, particularmente no Brasil. Mas, em Goiás, estamos fazendo o caminho inverso”, pondera.

De acordo com o vice-governador, Zé Eliton, Goiás registra desde janeiro de 2016 a redução de diversos indicadores de violência, graças à integração das forças policiais e aos investimentos nas áreas de tecnologia e de inteligência. “Temos hoje um dos sistemas de inteligência mais avançados do país, reconhecido pela comunidade de segurança”, afirma. Ele assumiu a SSPAP no final de fevereiro e permaneceu à frente da pasta até o fim do ano.

O secretário Balestreri destaca que os resultados obtidos neste ano são fruto de muito trabalho, desenvolvido de modo integrado entre as forças que compõem a segurança pública. “São números para serem comemorados e nossas corporações devem ser reconhecidas pelo excelente trabalho que prestam à sociedade”, conclui.

Reativas

As principais regiões goianas seguiram a tendência de queda estadual. De acordo com as estatísticas, em Goiânia, todas as naturezas criminais monitoradas pela SSPAP em 2017 apresentaram índices criminais menores do que o registrado nos 11 meses do ano passado. Nesse período, os homicídios retrocederam na capital em (-10,22%), os estupros (-28,86%) e as tentativas de homicídios (-29,41%). Os latrocínios cederam em (-25%). Na categoria de roubos, o recuo foi geral: em comércio (-40,8%), de veículos (-33,82%), a transeuntes (-27,17%) e em residência (-26,99%). Os furtos de veículos diminuíram (-17,15%), em comércios (-24,35%), em residências (-1,95%) e a transeuntes (-20,12%).

De acordo com Zé Eliton, “não se combate violência sem atacar as causas do crime, e o estado tem avançado nesse sentido, com a integração das forças policiais e o uso dos serviços de inteligência que permitem quebrar as cadeias do crime organizado, como por exemplo”, a de roubo de veículos. “Não adianta colocar um policial em cada esquina para tentar diminuir delitos, sem quebrar a cadeia criminosa que alimenta esse tipo de crime”, acentua.

Investimentos

A SSPAP disponibiliza os dados em forma de números absolutos mensais, deixando aos interessados a análise mais pormenorizada dos fenômenos retratados. Por meio dessa iniciativa, implementada na gestão de Eliton à frente da pasta, em junho passado, qualquer pessoa tem acesso às informações de registros de ocorrências no estado.

Ainda sobre a retração nas ocorrências criminais no estado, o vice-governador lembra que, durante o período em que esteve à frente da pasta, empreendeu diversos esforços para fortalecer o sistema penitenciário goiano. “As forças policiais do Estado têm capacidade de agir, investigar e prender. Mas buscamos também o fortalecimento do sistema prisional. Este empenho para concretização de investimentos precisa ser permanente”, conclui Zé Eliton.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA