logomarcadiariodegoias2017

O vereador, guarda municipal e presidente do SindiGoiânia, Romário Policarpo, afirmou que a Prefeitura de Goiânia não investe na segurança da cidade, e coloca a responsabilidade de roubos e arrombamentos nos prédios públicos municipais na Guarda Civil Metropolitana.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Rádio 107,3 FM, da Rede Bons Ventos, o vereador comentou a determinação do prefeito de Goiânia, Iris Rezende, de tirar os agentes da Guarda Civil Metropolitana das rondas das ruas da capital para fazerem apenas o policiamento de imóveis públicos.

De acordo com Romário Policarpo, a determinação de Iris Rezende é descabida. “Para atuar da forma que o prefeito deseja que a guarda atue seria necessário um aumento de 700% do efetivo. Será que a prefeitura tem condições de contratar essas pessoas? É uma fala que fica ao vento”, disse ele.

O vereador ressaltou que o tema da segurança foi muito debatido durante o período eleitoral, já que esta tem sido uma das principais queixas da população, mas segundo ele, a sociedade está se deparando com ações contrárias as discutidas na campanha.

“Houve um de debate muito amplo nas eleições sobre segurança. O município pode e deve também na segurança, não foi tirado do município a responsabilidade da segurança, é claro que isso acontece dentro de parâmetros estabelecidos por lei, não é a mesma responsabilidade do estado, mas a cidade mudou. A criminalidade em Goiânia aumenta diariamente. Quem imaginou que Goiânia teria uma taxa de homicídio maior que a cidade de São Paulo, hoje nós temos. As guardas municipais, o município, tem a obrigação de investir em segurança pública. O que me entristece é que a prioridade da população hoje, se vocês fizerem uma pesquisa, é a segurança, passou a saúde e a educação, o povo não aguenta mais a insegurança. Isso foi campanha eleitoral de todos os candidatos e agora a gente se depara com ações contrárias as que foram faladas na campanha”, declarou o presidente do SindiGoiânia.

O vereador defendeu durante a entrevista que os guardas andem armados. “Os guardas não só podem andar armados, como eu estou com a minha arma aqui na cintura”, frisou.

Romário Policarpo ressaltou ainda que não acredita que essa seja uma decisão política. “O prefeito Iris Rezende é muito zeloso com a cidade em alguns aspectos. Acredito que isso seja preocupação de outros secretários que não fazem o seu dever de casa e que estão tendo unidades escolares roubadas, parques arrombados e a saúde um caos. Hoje, 72% das unidades da Prefeitura de Goiânia não tem nenhum equipamento de segurança, quer dizer, muitas não têm nem muro. A Prefeitura de Goiânia não investe, eles preferem jogar a responsabilidade na guarda municipal do que gastar R$ 20 mil na instalação de equipamentos que evitariam furtos”.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

BUSCA