Vilmar Rocha apresentou o plano nesta quinta (30). Foto: Samuel Straioto
vilmar rocha plano de saneamento

Foi lançado nesta quinta-feira (30), o Plano Estadual de Saneamento. O processo prevê a definição de metas e programas para universalização e criará um sistema de Informações de Saneamento Básico. A expectativa é que o plano seja concluído até o final do ano de 2019.

O plano envolve o tratamento de água e esgoto, a destinação correta dos resíduos sólidos e ainda o uso correto do lençol freático. Para a elaboração do plano a Secima firmou convênio de R$ 3 milhões com a Universidade Federal de Goiás (UFG).

“A responsabilidade do saneamento é do município. Mas o Estado e a União também tem participação. O plano vai delinear a atuação do estado e propor ações e estratégias para que os municípios enfrentam. Com relação a abastecimento de água os índices no estado de Goiás são satisfatórios em comparação com outros locais, mas o plano ainda engloba tratamento de esgoto e resíduos sólidos, que estão abaixo da meta colocada”, afirmou o professor Heraldo Henrique da UFG.

Para o presidente da Saneago, Jalles Fontoura, com uma política definida a partir da adoção do Plano Estadual, o Estado terá condições de investir de forma mais eficiente para universalizar e integrar o acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta, tratamento de esgoto, limpeza urbana, e manejar de maneira mais eficiente e sustentável os resíduos e as águas pluviais.

“A Saneago vai cumprir o plano a risco. O plano dará as linhas estratégicas. Será nosso guia para universalizar água e esgoto nos 226 municípios que estamos atuando. Nós estamos vivendo um tempo de mudanças com grande stress hídrico, ter uma estratégia a longo prazo é fundamental”, afirmou.

De acordo com a Secima, a elaboração do plano prevê a realização de reuniões e audiências públicas em todas as regiões do Estado em ações que alcancem toda a extensão territorial, tanto urbana (área central e periférica) quanto rural, de modo que atinja até mesmo os distritos afastados de todo o território do Estado.

“Com o plano a política será detalhada e vamos fazer uma agenda dos passos que temos que fazer para universalizar o saneamento básico. O plano vai ser uma agenda”, declarou., o titular da Secima, Vilmar Rocha.

Segundo o governo estadual, o saneamento básico é um dos indicadores do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador, que busca ampliar os sistemas de esgotamento sanitário, água tratada e a construção apropriada dos sistemas domiciliares compostos por tanque séptico e sumidouro.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA