Vice-governador José Eliton durante solenidade de abertura do II Encontro do Programa Jovem Cidadão. (Foto: Wildes Barbosa)
jose eliton encontro jovem cidadao foto wildes barbosa

Realizado nesta quarta-feira (22), em Goiânia, o II Encontro do Programa Jovem Cidadão, que já atendeu mais de 30 mil jovens ao longo de 17 anos e lança novas oportunidades para o primeiro emprego, o vice-governador de Goiás, José Eliton (PSDB), afirmou que o programa auxilia na redução dos índices de evasão escolar.

“Sem dúvidas. Tem todo um conjunto de critérios estabelecidos para a inclusão do jovem neste programa, que tem como foco o desenvolvimento individual do jovem que ingressa no programa, mas também tem uma série de situações que são avaliadas em decorrência do programa. Tem conceitos de disciplina, responsabilidade, que são inerentemente aplicados naqueles que estão participando do evento. Naturalmente tem reflexos na área de saúde, de segurança, de formação pessoal e na área educacional, afinal, quando você tem perspectivas não há dúvidas de que você, enquanto indivíduos, consegue se esforçar para se qualificar cada vez mais e a educação é o pilar mestre de toda essa cadeia”, destacou.

Durante a solenidade de abertura, José Eliton ressaltou a importância do Programa Jovem Cidadão, principalmente, para adolescentes de baixa renda, que historicamente têm menos oportunidades de ascensão na educação e mercado de trabalho em Goiás. Para o vice-governador, eventos deste tipo ajudam a criar novas perspectivas aos jovens.

“É a oportunidade do primeiro emprego, oportunidade de conhecimento sobre diversas áreas que possam impactar na sua decisão futura de qual carreira seguir, é o governo do Estado hoje contemplando 3,6 mil e agora ampliando para cinco mil jovens, inaugurando a caravana do jovem cidadão, que irá percorrer o Estado qualificando os jovens. Eventos como este, onde você apresenta cultura, mas apresenta palestras de qualificação, dotando e qualificando os jovens da capacidade de exercer muito bem uma profissão para o hoje e para o amanhã. É um momento em que você, com essa política pública, consegue abrir perspectivas e novos horizontes dentro de uma ação que beneficia o estado de Goiás, a nação brasileira, mas principalmente beneficia o foco ser humano, os jovens, as famílias que conseguem ter novas perspectivas através de um programa como este”, disse.

Inclusão

O atual número de vagas do programa é de 3.624, que será ampliado para cinco mil jovens em 2018. Além da ampliação, o programa também tem uma cota para inclusão de deficientes físicos.

“Resolvemos, tanto o governador quanto eu, fazer uma reserva de cota especificamente dando oportunidade para essas pessoas que já enfrentam as dificuldades da vida, do dia a dia, mas que têm perspectiva, capacidade laboral, que podem muito bem contribuir com suas ações para os órgãos e empresas que forem colaboradoras para o poder público e para suas famílias”, concluiu.

A Secretária de Cidadania, Lêda Borges destacou que o programa começou em 2015 e que gradativamente foi ampliado. Ela ressaltou que o Jovem Cidadão hoje traz inúmeros benefícios.

"O programa começou em 2015 em 40 cidades. Depois foi ampliado para a região do Entorno de Brasília. Agora serão abertas mais 1 mil vagas, chegando a um total de 5 mil.O programa jovem cidadão inclui o jovem no mercado de trabalho, capacita esse jovem e ele precisa estar permanente na escola. A idade de 16 a 18 anos o adolescente se pergunta o que será define e o programa ajuda ele a se desenvolver", declarou.

Exemplo

Um jovem que participa do programa é Samuel Almeida. Ele mora em Senador Canedo e trabalha na sede da Secima. Ele afirmou que além de o programa ajudar no desenvolvimento, ainda dá um suporte financeiro. Samuel explicou que no momento de crise, a família toda ficou desempregada e a rednda dele é que ajudou a "segurar as pontas".

"Tenho aumentado o meu conhecimento pessoal, vai me ajudar quando entrar na faculdade. A renda também é importante. Com a crise que o Brasil enfrentou, os meus pais e meu irmão ficaram durante um certo tempo, desempregados. A única renda durante algum tempo na casa foi a minha. E foi por causa desta renda que não tivemos nossa luz cortada, água cortada, e não ficamos sem comer", explicou.

Leia mais:

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA