Posto no Jd Marliza ainda não baixou o preço do Etanol (Foto: Samuel Straioto)
posto de combustivel notificado pelo procon jd mariliza

Mesmo com a determinação judicial válida para 60 postos de Goiânia em que o preço do etanol foi considerado pelo PROCON Goiás abusivo ao consumidor, vários estabelecimentos ainda não foram notificados e não promoveram a redução de preços no etanol. Vale ressaltar que a liminar não determina diminuição no valor pago pela gasolina.

Em um posto situado na Avenida Engles no Jardim Mariliza, um dos 60 estabelecimentos que foram alvo de ação do PROCON Goiás, o preço continua o mesmo. R$ 3,29 o litro do etanol e R$ 4,49 para gasolina comum e o mesmo valor para a aditivada.

Após a notificação da justiça, em caso de descumprimento, o estabelecimento pode pagar uma multa diária de R$ 20 mil. A determinação do juiz Reinaldo Alves Ferreira ocorreu após uma ação proposta pela que apontou um aumento abusivo de 120% no litro do etanol.

Na liminar, ele ordena que os réus retomassem à margem de lucro bruto médio praticada em julho deste ano, de 10,2%.

A superintendente do PROCON Goiás, Darlene Araújo afirmou que a partir do momento que os preços do Etanol forem reduzidos, haverá reflexo também nos valores da gasolina. Isso porque se espera uma maior procura pelo etanol, forçando o não consumo da gasolina, obrigando os estabelecimentos a baixarem preços.

Clique aqui e veja a relação de postos que são obrigados a baixar os preços do etanol

Por meio de nota, o Sindicado do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), informou que irá recorrer da decisão judicial, pois acredita que houve um congelamento no lucro do Etanol. Ainda de acordo com a nota, a decisão fere o princípio da livre concorrência. O sindicato oriento que estabelecimentos que forem notificados possam cumprir a determinação judicial.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA