caso raphaella 5

A morte de Raphaella Noviski, de 16 anos, assassinada por um adolescente, de 19 anos, no Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia chocou a cidade de aproximadamente 88km de Brasília.

Amigos, parentes e até desconhecidos fizeram publicações de luto em redes sociais após o acontecimento. Consternada com a situação, uma internauta se diz revoltada com a morte de jovem. Na publicação classifica o crime como “motivo banal”. “Então você se recusa a ficar com a pessoa, ela se revolta e se acha no direito de invadir sua escola e descarregar uma arma no seu rosto? A que ponto chegamos? Cada vez um motivo mais banal que o outro”, diz na publicação.

caso raphaella 2

 

Em outra publicação, o presidente do grêmio estudantil do Colégio Estadual 13 de Maio, fez um texto direcionado a família da vítima, desejando conforto e justiça. Em um dos trechos, o jovem classifica Raphaella como uma amiga amada e pede que o “crime bárbaro seja punido”. Na publicação, se intitula como desesperado. “Não há nada capaz de reparar uma perda como esta, mas em nome da amizade e amor que fica, e em honra da memória de quem se foi, é preciso continuar vivendo”, diz.

Com a foto do perfil em luto, mais um dos amigos se mostra surpreso e inconformado com a situação. O internauta fala da vítima como uma pessoa boa, doce, humilde e ótima. “Pessoa ótima acontecer isso com você. Ainda não caiu ficha que se foi. Enfim, os momentos bons ficaram e agora você mora com papai do céu. Ele vai cuidar muito bem de você”. Ainda completa afirmando que Raphaella irá fazer falta. 

caso raphaella 1

O desejo é que após a tragédia, a Raphaella possa descansar. É o que diz essa postagem, “vai em paz e com Deus. Raphaella Noviski, que o nosso senhor te receba de braços abertos. Você viveu pouco, mais honrou a Deus. Desejo que Deus conforte todos os familiares”, deseja a internauta. 

caso raphaella 3


Nesta postagem, um internauta chamo o caso de inacreditável. “Inacreditável, Raphaella Noviski. Onde vamos parar meu Deus?”, lamenta. 

Veja o depoimento de Misael Pereira:

caso raphaella 4

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA