protesto uber

Na manhã desta segunda-feira (30) motoristas de aplicativos se reuniram e promoveram um buzinaço contra o regulamentação dos aplicativos em Goiânia. O ponto de encontro foi marcado no Aeroporto e seguiu até a Praça Cívica. O próximo passo é protestar em frente ao Senado Federal, em Brasília, onde será votada a proposta da PLC 28/2017. 

Durante o protessto, no vidro traseiro dos carros, em um adesivo, os motoristas chamavam os usuários dos aplicativos para participar da ação. “Querem acabar com o Uber, vai deixar? Participe – Não a PLC 28/17”, dizia o cartaz.

Além disso, para quem passava por perto da movimentação, foram distribuídos panfletos informando a suspenção dos aplicativos referente aos motoristas que participavam da ação nesta manhã e os malefícios que a regulamentação traria para os usuários e para os motoristas do transporte privado.

De acordo com o que estava escrito no panfleto, a regulamentação iria prejudicar os motoristas e impactar a economia de forma negativa. “Milhares de pais família perdem seus empregos”, “em tempo de crise a economia gerada pelos motoristas particulares é fundamental”, “diversos setores serão afetados, como bancos, financiadores, locadoras, postos de gasolina, supermercados, lava jatos, auto elétricas, mecânicas, restaurantes, lanchonetes e outros”, dizia o panfleto.

O panfleto também destacou os malefícios trazidos aos usuário dos aplicativos caso a regulamentação seja aprovada. “Você passageiro perde seu direito de escolha”, “volta a antiga dependência do transporte público”, “18 milhões de usuários que usam algum tipo de aplicativo também perdem seus direitos”.

Os motoristas são contra o Projeto de Lei 28/2017 que regulamenta o uso de aplicativos de transportes remunerados privados. De acordo com o texto da PLT, os aplicativos teriam que seguir algumas orientações para continuarem funcionando, como a vistoria frequente nos veículos, placa vermelha, idade mínima dos condutores, além de uma autorização para que o veículo ofereça o serviço.

Como conta o motorista, Renato Pires, o objetivo da manifestação é barrar a PLC 28/2017. “Essa PLC é totalmente nociva as plataformas. Ela é nociva, pois de forma encubada ela fala que é para regularizar, só que a regularização coloca vários empecilho, como placa vermelha, um vistoria do município e a outra do Estado, o que não procede e inviabiliza as plataformas”, conta.

A proposta aprovada pela Câmara dos Deputados em abril, deve ser votada nesta terça-feira (31) no Senado Federal, em Brasília. Segundo o motorista da Uber, Renato o próximo protesto será no Distrito Federal, em frente ao Senado Federal. “O estacionamento do Mané Garrincha já está autorizado para os motoristas. Vamos tentar entrar no Senado, mas só se for permitido, tudo muito organizado e com autorização”, conta.

Leia mais: 

 

 

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA