isadora atentado

A estudante Isadora de Morais, de 14 anos, vítima do atentando no Colégio Goyases, passa por uma cirurgia na manhã desta quinta-feira (26). De acordo com a nota divulgada pelo Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde a adolescente está internada desde a última sexta-feira (20), a vítima apresenta uma infecção no pulmão e o procedimento é realizado para "acelerar a melhora clínica da parte pulmonar". 

Ainda de acordo com a nota, Isadora, foi submetida a um procedimento cirúrgico para limpeza da cavidade pleural (membrana que reveste o pulmão). “A realização do procedimento não acontece em razão de nenhuma intercorrência e/ou situação de urgência. Como informado, a cirurgia foi agendada com antecedência e faz parte da estratégia de tratamento médico da paciente” informa.

Isadora foi baleada por três disparos, sendo que os estilhaços de um dos projéteis atingiu a décima vértebra torácica, que deixou a adolescente paraplégica.  Esse projétil fez uma lesão da medula, que é o canal que passa dentro da coluna. Ela não move as pernas, em decorrência dessa lesão medular. Em caráter irreversível. Estudos precisam ser feitos, novos exames. Até agora é em caráter irreversível. [...] Depois de sair da UTI, ela segue para a reabilitação”, informou Ricardo Furtado, diretor técnico do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) em entrevista coletiva.

Outras vítimas

Marcela Macedo, atingida por uma bala que perfurou o pulmão esquerdo e quebrou três costelas, também permanece internada no Hugo, sem previsão de alta. A jovem que completou 14 anos junto ao aniversário de Goiânia, nesta terça-feira (24), deixou a UTI e segue internada na enfermaria do hospital. A assessoria do Hugo informou que seu estado de saúde é regular.

Já Lara Fleury Borges, de 14 anos, recebeu alta do Hospital dos Acidentados na manhã desta quarta-feira (25). Lara recebeu apenas um tiro, que perfurou seu braço. O outro adolescente ferido, Hyago Martins de 13 anos, continua com uma bala alojada nas costas. A bala está localizada à 5 mm da medula óssea, o que poderia ter provocado a perca dos movimentos das pernas.

Além dos feridos, João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 13 anos, morreram ainda no colégio.

O caso

Um adolescente de 14 anos abriu fogo na última sexta-feira (20) dentro de uma escola particular localizada no Conjunto Riviera, em Goiânia. Dois estudantes foram baleados e morreram no local. Outros quatro adolescentes ficaram feridos e foram socorridos. Um dos jovens que estava internado no Hugo recebeu alta hospitalar neste domingo (22). O atirador foi apreendido e encaminhado à Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai). A arma utilizada no atentado era pertencente à Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), de propriedade da mãe do adolescente. 

Leia Mais:

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA