Delegado e médico concederam entrevista na tarde desta sexta-feira (20). Foto: Thais Dutra
coletiva no hugo caso atentado na escola

O titular da Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (DEPAI), Luiz Gonzaga Júnior, colheu depoimento do adolescente que matou dois colegas e deixou outros dois feridos. Segundo o delegado o autor se baseou em duas tragédias para cometer o crime.

Segundo o delegado, o adolescente prestou depoimento e se baseou em duas execuções em série que ocorreram em escolas. Um fato ocorreu nos Estados Unidos e outro em Realengo no Rio de Janeiro.

“O adolescente agiu como motivador o Bullying que sofria de outro adolescente. Ele se inspirou em duas tragédias. Uma aconteceu nos Estados Unidos e outra em Realengo no Brasil, esta inspiração fez a ideia dele de matar alguém. Assim ele resolveu matar pessoas”, declarou.

<>

De acordo com o delegado, no momento do fato a professora estava na sala de aula. O nome da profissional não será revelado para preservá-la. O responsável pelas investigações disse que ela ainda será ouvida como testemunha. Foi destacado que houve um cumprimento de um mandado de busca e apreensão na residência do menor, com autorização dos pais, elementos que poderão ajudar na apuração dos trabalhos. Os pais que são militares também serão objetos de investigação na área civil.

O delegado explicou que a arma usada no crime estava em um móvel da casa, se apoderou dela e a levou para a escola. Luiz Gonzaga afirmou que o atirador será submetido a acompanhamento psicológico e se for necessário, psiquiátrico. O delegado afirmou que o caso será concluído e remetido ao Ministério Público que deverá se manifestar pela internação provisória do menor, que poderá ou não ser autorizada pelo juiz da Infância e Juventude.

Estado de Saúde

De acordo com a equipe médica, o estado de saúde das vítimas é grave. Da adolescente M.R.M, de 13 anos, do sexo feminino, continua está em estado grave, mas orientada, consciente, mas respira com suporte de cateter de oxigênio. Uma das balas atingiu o tórax. O pulmão foi perfurado. Ainda corre risco de morte.

Outra garota vítima do atentado apresenta quadro melhor. A menina está em situação estável, também teve o pulmão perfurado, mas não perdeu muito sangue. A jovem ficará em um leito de enfermaria. Já o menino que foi baleado, não teve nenhum órgão perfurado, ele está na enfermaria. O estado de saúde dele é o menos grave. Vale ressaltar ainda que há uma vítima que foi encaminhada para o Hospital de Acidentados.

Leia mais:

 

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA