policia civil delegado

A promotora de Justiça Leila Maria de Oliveira recomendou ao secretário de Gestão e Planejamento do Estado de Goiás, Joaquim Mesquita, o cancelamento do Concurso Público n° 7/2016 deflagrado pela Segplan para provimento de 36 vagas para o cargo de delegado de Polícia substituto.

De acordo com a promotora, foi confirmada pela Polícia Civil uma série de fraudes que comprometem a lisura do concurso e impedem sua continuidade. Segundo ela, o próprio Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), realizador do concurso, admitiu diversas irregularidades, afirmando, inclusive, que os 13 primeiros candidatos aprovados na prova objetiva foram beneficiados por atos que infringiram procedimentos interno de segurança, conforme sua manifestação no inquérito policial aberto sobre os fatos.

Ainda de acordo com Leila Maria de Oliveira, a Polícia Civil apurou que a fraude, no entanto, não ficou restrita apenas a esses candidatos, tendo alcance muito maior, daí a necessidade de cancelamento do concurso. Para o MP, o certame está inteiramente comprometido pelas fraudes e insegurança causada aos candidatos, não sendo possível a preservação de nenhum ato já realizado.

Veja a nota da Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Segplan):

Nota sobre o concurso de Delegado de Polícia Substituto

Visando garantir o direito dos candidatos ao concurso de Delegado Substituto, promovido pelo Governo do estado, em xxxxxx, e também o amplo direito de defesa da instituição responsável pela promoção do certame, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), a Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), através da Escola de Governo, instituiu uma Comissão Processante para acompanhar o caso.

Nos próximos dias a Comissão vai concluir o relatório e encaminhar ao secretário para que seja tomada a decisão final sobre o caso.

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA