Foto: Cristina Cabral/OVG
valeria perillo outubro rosa
 

A presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Valéria Perillo, e o Governo do Estado apoiam a Campanha Outubro Rosa da Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG), instituição mantenedora do Hospital Araújo Jorge, referência no tratamento da doença. Valéria Perillo destaca em vídeo gravado para essa finalidade a importância da campanha e alerta as mulheres para a necessidade de fazer o autoexame.

“Você tem o poder do toque. Faça o autoexame das mamas, que pode levar à constatação de nódulos ou outras alterações e sinais aparentes. Essa é uma forma de conhecer seu próprio corpo. Lembre-se: a detecção precoce do câncer de mama aumenta as chances de um tratamento bem-sucedido”, explica. A campanha deste ano aborda o empoderamento feminino como uma forma de divulgar a importância da prevenção e diagnóstico precoce da enfermidade. O governo estadual aderiu à mobilização colorindo de rosa as luzes que iluminam o Palácio das Esmeraldas, Palácio Pedro Ludovico Teixeira e Estádio Olímpico.

O tema, que apela ao empoderamento feminino, tem o objetivo de conscientizar a população por meio de informações sobre a prevenção e cuidados que devem ser adotados. O presidente da Associação, Paulo Moacir de Oliveira Campoli, lembra às mulheres da importância da prevenção, da detecção precoce do câncer de mama.

“A incidência do câncer de mama é muito alta na nossa população e é uma doença passível de prevenção, que tem tratamento”, disse.  “Isso justifica nosso empenho, no sentido de esclarecer a população para fazer prevenção, para fazer autoexame, fazer mamografia, visando detectar precocemente essa doença e fazer o tratamento necessário”, completou o médico.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, todas as mulheres dentro da faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde, entre 50 a 69 anos, têm direito a fazer mamografia de rastreamento, que pode ajudar a reduzir a mortalidade por câncer de mama. Entre os benefícios pode ser citado o de encontrar o câncer no início e permitir um tratamento menos agressivo, além da menor chance de a paciente morrer por câncer de mama, em função do tratamento precoce.

 

Para fazer o exame, a mulher deve procurar uma Unidade Básica de Saúde – UBS/Estratégia de Saúde da Família (ESF) e solicitar o pedido para realização do exame. O pedido pode ser fornecido no caso de rastreamento por médico e/ou enfermeiro. No ano de 2016, foram realizadas 43.580 mamografias de rastreamento, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Goiás, uma média de 3.632 por mês. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os mamógrafos estão distribuídos em todo o Estado de Goiás, por meio das suas respectivas Regiões de Saúde, garantindo acesso a toda população goiana.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA