tabela leitos hospitais goiasNos últimos sete anos, a Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) dobrou o número de leitos de Terapia Intensiva na rede hospitalar própria do Estado. A média de crescimento de leitos de UTI no país, nos últimos sete anos, foi de 33,00% e, no Centro Oeste, esse crescimento foi de apenas 24,14%, menor que a média nacional, mas em Goiás o aumento geral supera em muito a média nacional: 60,48%.

“Goiás tem um percentual de crescimento superior à média nacional e é destaque nacional como o 6º estado que mais avançou em números percentuais de leitos de UTI”, afirma o secretário Leonardo Vilela.

No entanto, como cerca de 40 leitos são financiados exclusivamente pelo tesouro estadual, esse percentual resulta maior, visto que o CNES só enumera leitos com financiamento do Ministério da Saúde. “Na prática, pela política de expansão da rede estadual de assistência hospitalar e de cofinanciamento de leitos de UTI, estamos operando com mais leitos de UTI do que o cadastro oficial consegue habilitar e mesmo acompanhar”, explica.

Em 2010, o Estado tinha 458 leitos de UTI. Hoje, são 735 leitos de UTI SUS funcionando efetivamente (portanto 60,48% de aumento). Contribuíram para esse desempenho, o aumento de leitos no Centro de Reabilitação e Readaptação Dr Henrique Santillo (Crer), no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), no Hospital Alberto Rassi (HGG) e a inauguração do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

O secretário Vilela reforça que esse resultado é fruto de uma política estadual que priorizou duas ações: a reestruturação e ampliação dos hospitais da rede própria e o fomento, por meio de cofinanciamento, dos leitos de UTI. O Governo do Estado, repassa desde 2012 um incentivo financeiro para hospitais particulares que oferecerem leitos SUS.

Atualmente, a SES-GO reserva mais de R$ 37 milhões por ano para cofinanciar 264 leitos de UTI . “Esse aporte quase triplica o valor da diária de leitos de UTI para hospitais privados fornecerem leitos para o SUS, já que a tabela paga pelo Ministério da Saúde está totalmente defasada”, explica Leonardo Vilela.

Novos leitos

O governo estadual tem em construção novos hospitais e com eles, a previsão de mais 198 leitos de UTI. “Vinte leitos de UTI entraram em operação no Hugol no começo de outubro e até dezembro serão mais 20”, esclarece o superintendente de Acesso de Serviços Hospitalares, Cleudes Baré, concluindo assim a implantação da unidade.

A SES-GO tem a perspectiva de novos leitos de UTI nos hospitais que estão em construção em diversas cidades de Goiás. Na região Norte, por exemplo, o Hospital de Uruaçu, atualmente com 70% da obra concluídos, o projeto contempla 306 leitos totais, sendo 40 de UTI.

O Ministério da Saúde preconiza que um mínimo de 4% do total de leitos SUS sejam de UTI. Atualmente, o Estado tem 4,74%. Com a abertura plena do Hugol, e inauguração das unidades de Santo Antônio do Descoberto e Águas Lindas, Goiás alcançará percentagem superior a 6% e com a conclusão dos hospitais e por meio ainda de convênios com hospitais municipais, chegará nos próximos quatro anos a superar o preconizado.

A SES-GO acredita que a prioridade dada pela gestão estadual de garantir os recursos para serviços indispensáveis como este, deve ser também incorporada pelos gestores municipais, e irá propor ferramentas mais céleres e transparentes, a fim de que os recursos repassados pelo Estado cheguem ao destino final e possam, cada vez mais, estar mais associados à qualidade de serviços tão essenciais a população.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA